sábado, 17 de março de 2018

DOUTRINA DO BATISMO NAS ÁGUAS

DOUTRINA DO BATISMO NAS ÁGUAS 
DOUTRINA DO BATISMO NAS ÁGUAS 

O BATISMO NAS ÁGUAS
Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Mateus 28:19.

ETIMOLOGIA DO TERMO
O termo batismo provém do verbo grego “baptizo” que significa “imergir” ou “mergulhar”. Textos do Novo Testamento nos mostram que os novos crentes eram completamente mergulhados na água. Em João 3:23 por exemplo, “João batizava em Enom, junto a Salim, porque havia ali muitas águas”. Se batizar fosse apenas jogar um pouco d’água na cabeça, não seria necessário um lugar com abundância de água.

A ORIGEM DO BATISMO
O batismo se originou nos tempos do Antigo Testamento. No meio de tantas nações idólatras, que cultuavam vários deuses, os israelitas se destacavam por praticar uma religião monoteísta, o judaísmo, adorando a um único Deus. Eventualmente, pessoas daquelas nações pagãs desejavam converter-se ao judaísmo, o que era possível por meio da chamada “cerimônia de proselitismo”. Havia três exigências para um prosélito: a sua circuncisão, o sacrifício de animais e o batismo nas águas, que era um rito de purificação. Neste último estágio, o gentio era imerso na água, como representação de sua morte para o mundo gentílico (não judeu), e depois surgindo para uma novidade de vida, segundo os padrões estabelecidos na Lei judaica. Obviamente, apenas gentios precisavam ser batizados.
Sendo assim, a origem do batismo remonta a épocas anteriores a Cristo, mas foi mantida pelos cristãos em obediência ao próprio Jesus, o qual, além de ter sido também batizado, ordenou a seus seguidores que continuassem batizando aqueles que quisessem segui-lo.

JESUS SE DEIXOU BATIZAR COMO EXEMPLO
Jesus não tinha do que se arrepender, porque jamais pecou (Hebreus 4:15). Qual a razão do seu batismo, então? João Batista também ficou surpreso ao ver que o próprio Senhor Jesus foi até ele para ser batizado. Cristo não precisava de batismo, mas ele disse que convinha “cumprir toda a justiça”. A Bíblia relata que a justiça de Deus foi cumprida na morte e ressurreição de Jesus. O Senhor, por mais de uma vez, referiu-se à sua morte usando a figura do batismo (Marcos 10:38, Lucas 12:50). Portanto, concluímos que Jesus batizou-se como uma demonstração simbólica daquilo que ocorreria com ele: sua morte (imersão) e sua ressurreição (emersão). Quando nos batizamos, passamos a nos identificar com Cristo, morrendo para este mundo, para ressuscitarmos para o reino de Deus. Romanos 6:3, Colossenses 2:12.

CONTROVÉRSIAS ACERCA DO BATISMO NAS ÁGUAS
O batismo nas águas é talvez o assunto mais controvertido na Bíblia. Por séculos ele tem sido um campo de batalha teológico em que muitos nobres soldados da cruz lutaram, sangraram e morreram. Talvez mais sangue de mártires tenha sido derramado por causa do batismo que por qualquer outra coisa.
Em algumas denominações o batismo não é feito por imersão, mas por aspersão – ou seja, se asperge água sobre a cabeça, ao invés de mergulhar todo corpo. Entre as que batizam por imersão, também existem diferenças: algumas batizam em rio, como no tempo bíblico, enquanto outras o fazem em tanques batismais, dentro do próprio templo, ou mesmo na piscina da casa de algum irmão. Há também a controvérsia acerca de batizar-se ou não crianças.
Na verdade é fato que muitas igrejas não impedem crianças de serem batizadas, conquanto que tenham idade suficiente para entender o seu significado e que seus pais ou responsáveis concordem com a decisão. Em contrapartida, há crentes adultos que ficam adiando o próprio batismo, talvez por comodismo ou ignorância. 
Na Bíblia encontramos referências à circuncisão de crianças.Gênesis 17:12; Levítico 12:3; Lucas 2:21; confrontar com Gálatas 5:6; 6:15, à apresentação de crianças em tenra idade ao Senhor. Levítico 12:6-8; Lucas 2:22-24, bem como ao fato de Cristo haver abençoado algumas crianças durante o Seu ministério (Marcos 10:13-16); mas em nenhum lugar aparece, ao longo do texto Sagrado, qualquer alusão ao batismo de crianças. Foi somente após a era Apostólica que tanto o batismo infantil quanto o batismo por aspersão acabaram sendo incorporados ao cristianismo.

LOCAL DO BATISMO
O batismo marca o momento de iniciação para os novos convertidos a Cristo em sua Igreja. Nesta cerimônia, o convertido é mergulhado por um momento na água, após declarar publicamente seu arrependimento de pecados e sua fé em Jesus como único Senhor e Salvador.
Muitos cristãos acreditam que o batizado em águas, ou simplesmente batismo, é uma parte importante do cristianismo, mas têm dificuldade em explicar a outros praticantes e também a não praticantes o significado do batismo nas águas.
Muitas pessoas afirmam que não se pode batizar em açudes, piscinas etc… Assim sendo, surge uma questão: mas afinal, pode ou não pode? Batizamos em Nome do Pai, do Senhor Jesus Cristo e do Espírito Santo nas águas, isto é (Açudes, Rios, Mares), pois a Bíblia cita batismo nas águas e onde tiver água para imersão aí podemos efetuar o batismo bíblico. João 3:23 Fala no batismo em Edom onde tinham muitas águas, não era um rio, a Bíblia diz além do rio Jordão, e em Atos 8:36 fala que o eunuco foi batizado onde se tinha poucas águas e não um rio; este até se espantou e disse: olha ali poucas águas o que me impede de ser batizado?

SIMBOLOGIA DO BATISMO
O que podemos dizer é que o batismo nas águas é um símbolo que deve ser feito para representar a nossa morte para o pecado e ressurreição para Nova vida em Cristo Jesus.
Assim sendo, as águas simplesmente simbolizam sua lavagem do pecado, mas quem está lavando é Jesus com seu sangue na Cruz do Calvário e não as águas de fato.

O que todo cristão deve saber é que o batismo nas águas é um dos passos mais importantes na vida de todo cristã que deseja entregar-se totalmente ao Senhor Jesus.
É um ato de fé, que demonstra o quanto a pessoa quer deixar seus velhos hábitos, erros, mentiras, desobediências, rebeldias etc., para trilhar os caminhos retos do Senhor Jesus e agrada-lO.
O descer às águas, simboliza deixar essa velha criatura sepultada, ou seja “enterrada” ali, lavando-se naquela água de todos os seus pecados e levantando-se para ser diferente, uma nova pessoa, que já não mente mais, que se esforça muito para obedecer e respeitar seus pais, que faz escolhas certas, e principalmente que obedece e respeita a Deus, se afastando de tudo aquilo que não O agrada: más amizades, enganos, mentiras, raivas, maus pensamentos etc.
O batismo nas águas simboliza a confiança total e dependência completa do crente no Senhor Jesus Cristo, bem como o compromisso de viver obedientemente a Ele. O batismo também expressa a unidade com todos os santos (Efésios 2:19), isto é, com cada pessoa em cada nação na terra que é um membro do Corpo de Cristo (Gálatas 3:27-28). O batismo nas águas transmite isso e mais, mas não é o que nos salva. Em vez disso, somos salvos pela graça através da fé, não por obras (Efésios 2:8-9). Somos batizados porque o nosso Senhor assim ordenou: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" (Mateus 28:19).

O BATISMO E A SALVAÇÃO EM JESUS CRISTO
O Senhor Jesus determinou: “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” (Marcos 16:16) Certos grupos cristãos, com base nesse versículo, interpretam que o batismo seria necessário para salvação. Muitos chegam a dizer que "sem o batismo não há salvação". No entanto, não foi exatamente isso que Jesus ensinou. Note que o batismo está relacionado à salvação, no entanto a ausência dele não é associada à condenação. Jesus não disse “quem não for batizado será condenado”. Isto porque nem todos têm oportunidade de batizarem-se quando passam a ter fé. Podemos citar o exemplo bíblico do malfeitor na cruz, que se arrependeu e confessou a Jesus como Senhor. A resposta de Cristo para ele foi: “hoje estarás comigo no paraíso”. E sabemos que aquele malfeitor não chegou a ser batizado, pois morreu logo em seguida. No entanto, ele foi salvo. Da mesma forma, não duvidamos da salvação de alguém que se arrependeu de seus pecados e se converteu a Cristo no leito de morte, mesmo que não haja tempo ou condições para ser batizado. Isso significa que o batismo é para a vida, ou seja, para nós que vivemos como testemunhas de Cristo. Sendo assim, ser batizado significa também não se envergonhar de Jesus e de seus mandamentos. Se alguém tem vergonha de ser batizado, também terá vergonha de se identificar publicamente como cristão. Neste sentido, o batismo serve também como teste da disposição de alguém em seguir a Cristo.

O batismo nas águas é para os crentes. Antes de sermos batizados, devemos chegar a crer que somos pecadores necessitados de salvação (Romanos 3:23). Devemos também crer que Cristo morreu na cruz para pagar pelos nossos pecados, que Ele foi sepultado e que ressuscitou para assegurar nosso lugar no céu (1 Coríntios 15:1-4). Quando nos voltamos para Jesus, pedindo a Ele que perdoe nossos pecados e seja nosso Senhor e Salvador, nascemos de novo pelo poder do Espírito Santo. Nossa salvação eterna é garantida, e começamos a morrer para nós mesmos e viver para Cristo (1 Pedro 1:3-5). Sendo assim, nesse momento estamos biblicamente qualificados para sermos batizados.
O batismo nas águas é um belo quadro do que o nosso Senhor fez por nós. Quando estamos completamente imersos na água, simbolizamos o sepultamento com nosso Senhor; somos batizados em Sua morte na cruz e não somos mais escravos do eu ou do pecado. Romanos 6:3-7. Quando somos levantados da água, somos simbolicamente ressuscitados PARA uma nova vida em Cristo para estar com Ele para sempre, nascidos na família do nosso Deus amoroso. Romanos 8:16. O batismo nas águas também ilustra a limpeza espiritual que experimentamos quando somos salvos; assim como a água purifica a carne, assim também o Espírito Santo purifica nossos corações quando confiamos em Cristo.
Os cristãos devem ser batizados por obediência e amor a nosso Senhor Jesus (João 14:15). O batismo nas águas por imersão é o método bíblico do batismo por causa de sua representação simbólica da morte, sepultamento e ressurreição de Cristo.

O fato de que o batismo nas águas não é um pré-requisito para a salvação é mais bem visto no exemplo de um homem salvo que não foi batizado em água - o criminoso na cruz (Lucas 23:39-43). Este pecador confesso reconheceu Jesus como seu Senhor enquanto morria em uma cruz ao lado dEle. O ladrão pediu a salvação e foi perdoado de seus pecados. Embora nunca tenha experimentado o batismo nas águas, naquele momento ele foi batizado espiritualmente na morte de Cristo, e então foi ressuscitado à vida eterna pelo poder da palavra de Cristo (Hebreus 1:3).

SOMOS SALVOS PELA GRAÇA DE DEUS, MEDIANTE A FÉ
Graça é favor imerecido, portanto, salvação não se conquista, se recebe gratuitamente pela fé. Sendo assim, torna-se muito importante compreendermos o verdadeiro sentido da “fé”, que vai além de uma mera crença, significando um comprometimento real com Cristo, ou seja, com seus ensinamentos – entre os quais também está o batismo.

“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” (Efésios 2:8-10 / Note que as boas obras são o resultado da fé em Jesus, a evidência de um salvo, e não o preço que pagamos por nossa salvação).
“Por isso, quem crê [tem fé] no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.” (João 3:36)

O batismo não dá origem à fé
O batismo não salva, mas é para o salvo, devendo ser ministrado apenas a quem primeiramente aceitar o evangelho, isto é, a quem demonstrar fé em Jesus Cristo como seu Senhor, seguindo seus ensinamentos:
“Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas. E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” (Atos 2:41-42)
“Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo? Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. E lhe pregaram a palavra de Deus e a todos os de sua casa. Naquela mesma hora da noite, cuidando deles, lavou-lhes os vergões dos açoites. A seguir, foi ele batizado, e todos os seus.”. Atos 16:30-33.

O PROPÓSITO DO BATISMO
É essencial que o novo convertido a Cristo entenda o propósito de precisar ser batizado. Podemos resumir a finalidade do batismo em três aspectos:

1) Identificação com Cristo. No batismo, o recém-convertido testifica que Cristo morreu por seus pecados e que ressuscitou para lhe dar nova vida. O batismo indica que o crente morreu para o velho modo de viver e entrou em “novidade da vida”, mediante a redenção que há em Cristo:
“Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida. Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição, sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; porquanto quem morreu está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos, sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já não tem domínio sobre ele. Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus.” (Romanos 6:3-11)
2) Morte para a velha vida.
O ato do batismo nas águas não leva a efeito essa morte para a velha vida e novidade com Cristo, mas a pressupõe e a simboliza:
“E agora, por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome dele.” (Atos 22:16)
“Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes.” (Gálatas 3:26-27)
3) Identificação com a Igreja.
O batismo nas águas também significa que o convertido se identifica com o corpo de Cristo, a Igreja. Os crentes batizados são admitidos na comunidade da fé e, com sua atitude, testificam publicamente diante do mundo sua lealdade a Cristo, juntamente com o povo de Deus.

“Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo. Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” (1 Coríntios 12:12-13)

“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz; há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.” (Efésios 4:1-6)
Como se percebe, o batismo é fundamental para se iniciar um vínculo do novo crente em relação a Cristo, a Igreja e a sociedade, que perceberá nele uma real mudança nas atitudes. O batismo é o marco divisório entre o passado sem Cristo e a presente condição de salvo.

CONDIÇÕES PARA O BATISMO
Uma verdadeira fé em Cristo é a única exigência para o batismo. Por exemplo, quando o eunuco perguntou a Felipe se ele podia ser batizado, a resposta foi: “É lícito, se crês de todo o coração.” (Atos 8:37a) Uma vez que somos salvos pela fé, esta é a condição primordial para quem dá o primeiro passo na vida cristã. Seria incoerente batizar descrentes. Mas, o que vem a ser fé? Há uma definição na própria Bíblia; embora não seja uma definição completa, vale como ponto de partida:
“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem.”. Hebreus 11:1.
Sendo assim, o batismo deve ser a prova exterior de uma mudança interior, ou seja, “a prova das coisas que se não veem.” Ter fé em Cristo significa estar em harmonia com seus ensinamentos – ou, como prefere dizer João (tanto em seu evangelho quanto nas epístolas), ter fé significa permanecer nele, em Cristo. E, para que não haja dúvidas, “nisto sabemos que estamos nele: aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou.” (1João 2:6) Esse é o conceito primordial de fé – significa estar em sintonia com Deus, ou seja, com a sua vontade, a qual foi revelada em Jesus e que se resume no amor a Deus e ao próximo. Portanto, a fé salvadora é um caminho no qual devemos andar e não apenas uma crença que precisamos acatar. De fato, o próprio Jesus nos ensinou que não há salvação sem arrependimento de pecados e sem o perdão ao próximo. Desta forma, e colocando em termos práticos, a condição para o batismo é a fé em Cristo, a qual se demonstra em duas atitudes:

1) Arrependimento de pecados.
Sem arrependimento de pecados não pode haver perdão e, consequentemente, salvação. O perdão dos pecados mediante o arrependimento era o tema central da pregação de João Batista:
“E percorreu toda a terra ao redor do Jordão, pregando o batismo de arrependimento, para o perdão dos pecados” (Lucas 3:3)
Esse arrependimento precisava ser comprovado por meio de uma radical mudança de atitude. João Batista chamava isso de “frutos dignos de arrependimento” (Lucas 3:8). Atente para o que ele dizia às pessoas que o procuravam para batizar-se:
“Então o povo perguntava: ‘O que devemos fazer?’ Ele respondia: ‘Quem tiver duas túnicas dê uma a quem não tem nenhuma, e quem tiver comida reparta com quem não tem.’ Alguns cobradores de impostos também chegaram e perguntaram a João: ‘Mestre, o que devemos fazer?’ Não cobrem mais do que a lei manda! -respondeu João. Alguns soldados também perguntavam: ‘E nós, o que devemos fazer?’ E João respondia: ‘Não tomem dinheiro de ninguém, nem pela força nem por meio de acusações falsas. E se contentem com o salário que recebem.'” (Lucas 3:10-14 NTLH)
Compreendemos que antes do batismo os novos crentes eram orientados a confessarem seus pecados a Deus por meio da oração.
“Então, saíam a ter com ele Jerusalém, toda a Judéia e toda a circunvizinhança do Jordão; e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.” (Mateus 3:5-6)
Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não atribui iniquidade e em cujo espírito não há dolo. Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado. Salmos 32:1-5.

Quanto ao futuro, Deus concede o auxílio do Espírito Santo para fortalecer o novo convertido e ajuda-lo a não permanecer na prática do pecado:
“Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar.” (Atos 2:38-39)

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério” (Atos 3:19-20a – ênfase nossa) Como vimos, o batismo exige um verdadeiro arrependimento, o qual se caracteriza pela mudança nas atitudes. Isso não significa que após o batismo seremos perfeitos e nunca mais iremos pecar, mas significa que não desejamos mais praticar o pecado. Se viermos a cometê-lo, sentiremos tristeza por causa disso, o que comprovará sermos habitação do Espírito Santo - este nos conduzirá a confessarmos nossos pecados e a sermos regenerados em Cristo.

2) Perdão ao próximo.
Por diversas vezes Jesus nos alertou que seremos perdoados na medida em que perdoarmos nosso semelhante. Logo, se não houver perdão, também não haverá salvação. Isso não significa que o perdão ao próximo seja uma prerrogativa meramente humana, pois o perdão provém de Deus e nEle deve ser buscado.

“Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.” (Mateus 6:14,15)

“Então, o seu senhor, chamando-o, lhe disse: Servo malvado, perdoei-te aquela dívida toda porque me suplicaste; não devias tu, igualmente, compadecer-te do teu conservo, como também eu me compadeci de ti? E, indignando-se, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse toda a dívida. Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão.” Mateus 18:32-35.

DEVEMOS ESPERAR ALGUM TEMPO PARA BATIZAR
No livro de Atos dos Apóstolos encontram-se nove relatos de batismos. A análise destas passagens mostra um fato comum a todos eles: o batismo acontecia imediatamente após a confissão de Jesus Cristo como único Senhor e Salvador. Os apóstolos não esperavam nem sequer um dia! Vamos conferir:
- No pentecostes (Atos 2:38,41)
Batizaram três mil convertidos em um só dia.
- Os samaritanos (Atos 8:12)
O único requisito era dar crédito a palavra do reino e ao nome de Jesus. Não era necessário passar por provas, nem necessitavam de meses de estudos bíblicos.
- O etíope eunuco (Atos 8:36-38)
Era um gentio. Filipe nem o conhecia. Talvez por esta razão a pergunta: “Há algo que impede que eu seja batizado?” A resposta foi: “É lícito, se crês de todo coração.” Quando o eunuco respondeu com a confissão de crer em Jesus, Filipe o batizou imediatamente, no rio mais próximo.
- Paulo (Atos 9:17,18; 22:13-16)
Foi o caso que mais demorou, três dias. Mas isto só aconteceu porque ele estava isolado, não havendo quem o batizasse. Tão logo Ananias chegou Paulo foi imediatamente batizado.
- Cornélio e a família (Atos 10:44-48)
Neste episódio tratava-se de muitos gentios que Pedro acabara de conhecer. No entanto, ele mandou batizá-los imediatamente, mesmo sabendo que os judeus em Jerusalém iriam estranhar e questioná-lo.
- Lídia e a família (Atos 16:13-15)
O texto dá o entendimento de que o batismo logo aconteceu.
- O carcereiro e a família (Atos 16:30-34)
Uma família inteira foi batizada no mesmo instante que passaram a crer em Cristo, e isto aconteceu de madrugada! Acredita-se que foram batizados em um tanque.
- Crispo e outros de Corinto (Atos 18:8)
A única condição para serem batizados era crer. O texto não especifica se foram batizados no mesmo dia, mas também não fala o contrário.
- Os doze efésios (Atos 19:4,5)
Assim que foram ensinados sobre Jesus, receberam o batismo.

CONTINUA...

SHALOM ADONAY

José Alfinyahu, Teólogo, Parapsicólogo, Psicanalista, Professor, Th.M em bíblia e Th.D em Teologia Sistematica.

Declaração de Direitos Autorais
O conteúdo em nosso site é produzido por Instituto Bíblico Cristão, e pertence por direito ao autor, publicador e/IBC.org. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de IBC.org. e inclua essa nota.

LEIA TAMBÉM

A CURA DAS DOENÇAS

PASTORES E LIDERES PSICOPATAS

O PSICOPATA NA IGREJA CRIANDO PSICOPATAS ESPIRITUAIS



ESTUDE CONOSCO

SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA
FORMANDO CIDADÃO PARA UMA SOCIEDADE MELHOR
Com o fim de Habilitar ao Senhor um povo Entendido. Lucas 1:17.


CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA A DISTÂNCIA
BÁSICO EM TEOLOGIA 



ESTUDE TEOLOGIA 
SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA

SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA
SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA




DOAÇÃO VIA INTERNET
Caso queira fazer doação de qualquer valor para nos ajudar, via internet, utilizando cartões de crédito, débito o boleto bancário, clique no botão de “doação” abaixo. Utilizamos os serviços do PagSeguro Uol. É rápido e seguro.

AO DOAR GANHE UM BRINDE

         OBRIGADO por Ajudar nosso TRABALHO Social. SUA DOAÇÃO ajudará MUITAS PESSOAS SEREM Alcançadas e SOCORRIDAS. Ao DOAR qualquer valor VOCÊ GANHA TOTALMENTE GRÁTIS à ENCICLOPÉDIA DE BÍBLIA, TEOLOGIA E FILOSOFIA: 
6 VOLUMES de Russell Norman Champlin. Em mídia digital
Que enviaremos para seu E-mail assim que com firmamos sua doação.


PARTICIPE e GANHE!

PARA CONTRIBUIR COM QUALQUER VALOR CLIQUE EM DOAR 
AQUI EM BAIXO





OBRIGADO PELA SUA DOAÇÃO. 

 QUE O ETERNO TE ABENÇOE.

 SHALOM ADONAY



segunda-feira, 12 de março de 2018

AS FUNÇÕES DE UM LÍDER

AS FUNÇÕES DE UM LÍDER

AS FUNÇÕES DE UM LÍDER
AS FUNÇÕES DE UM LÍDER


Existem pessoas que tem o dom de influenciar outras, característica que pode ser percebida logo cedo, ainda na infância. Um bom líder é aquele capaz de extrair o melhor de cada pessoa, é uma pessoa íntegra, entusiasmada e que sabe, ao mesmo tempo, demonstrar firmeza e motivar os colegas. Mas, o que é ser líder, o que faz um líder, quais suas funções, de onde vem o termo líder e como surgiram essas notáveis pessoas? É indagações que sempre ouviremos as pessoas fazerem quando se estuda liderança. 
Nós trataremos de tentar responder essas questões de forma resumida e simples para o post não fique muito extenso, para dar o inicio ao nosso assunto veremos a etimologia do termo líder.  

Etimologia do termo líder
A palavra líder vem do Latim Auctoritas, “ordem, opinião, influência”. E do Inglês Leader, “guia, chefe”, do Inglês arcaico Laedan, “guiar, chefiar”, do Germânico Laithjan, “chefiar”. Daí vieram nossas palavras “liderar” e líder”.

A origem do líder 
Muitos defendem que foi na região da mesopotâmia onde provavelmente começou a História, por volta de 4.000 a.C. Essa era uma rica região da Ásia Menor, localizada nas planícies férteis banhadas pelos rios Tigre e Eufrates, os quais lançam suas águas no golfo Pérsico. A Mesopotâmia corresponde em grande parte ao atual território da República do Iraque. Começara ali os vestígios da liderança, a necessidade de se viver em conjunto, em sociedade, surgiu lideres para que este projeto fosse seguido. Em minha opinião a liderança surgiu e foi estabelecida por Deus para que o homem pudesse cumprir sua missão de se expandir e se multiplicar na terra. Como está escrito: Então Deus determinou: Façamos o ser humano à nossa imagem, de acordo com a nossa semelhança. Dominem eles sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os grandes animais e todas as feras da terra, e sobre todos os pequenos seres viventes que se movem rente ao chão!. Gênesis 1:26. Como podemos observar foi Adão o primeiro líder e pelo que sei ele nasceu líder e ser fez líder pela pratica e exercício de sua função de líder e como um líder Adão planeja, organiza, dirigi, treina e controla o meio e a situação em que viva.
Notamos na tarefa quase impossível de Adão nomear todas as espécie de animais que existia. Você ja parou para pensar como Adão pôde ter dado nomes a milhões de espécies diferentes no Sexto Dia se este foi de apenas 24 horas? Esta é uma objeção comum a uma visão mais objetiva de Gênesis 1.
Na minha visão Adão precisou planeja, organiza, dirigi, treina para poder controla essa situação.
Imagine que na verdade, existem milhares de espécies no planeta e destes números, dois milhões de espécies conhecidas hoje, e 98 % são invertebrados, o que inclui uma variedade de animais que vão de esponjas, vermes e água-viva, a moluscos e insetos. Os 2 % restantes são vertebrados, chegando ao número aproximado de 40.000 espécies. Este número fica ainda menor quando os 25.000 vertebrados marinhos e quatro mil anfíbios são descontados.
E mesmo que estas espécies que citamos não tenham sido nomeadas por Adão ele teve um longo e grande desafio para nomear as espécies citadas em Genesis.  
Observe que as Escrituras explicitamente afirmam que Adão deu nomes a todos os rebanhos (Heb. behemah), às aves do céu (Heb. oph hassamayim) e à todas as feras do campo (Heb. chayyah hassadeh). Gênesis 2:20.
Agora imagine você realizando esse desafio como o primeiro líder da raça humana. E se, o dia que Adão viveu foi de 24 horas o desafio era maior ainda. Pense nisso, porque, haverá dias como esse na vida de qualquer um que queira ser um líder, principalmente se for liderar uma igreja.

Nascemos líder
Liderança é uma característica que nasce com a pessoa ou pode ser desenvolvida com muito custo. Porque, em minha opinião qualquer um pode vir a ser um líder desde que queira e anele profundamente a liderança.  Portanto, é essencial investir na lapidação dos talentos da liderança e encontrar os mecanismos certos para que eles possam evoluir continuamente.
Na prática, isso quer dizer que até mesmo o líder nato precisa de ferramentas para desenvolver suas habilidades e se tornar, verdadeiramente, a melhor liderança que ele pode ser. Para isso, é preciso aprender como transformar este potencial em grandes resultados, ou seja, como gerenciar os processos com assertividade e liderar as pessoas de forma inspiradora.
É verdade que como Adão, algumas pessoas já nascem com características comportamentais de um grande líder, outras precisam construir um caminho para chegar lá. Há aquelas pessoas que são líder por natureza, nascem com o dom da liderança em sua personalidade, enquanto outros desenvolvem essa característica como reflexo de suas habilidades e estudos. A fim de chegar cada vez mais perto da liderança, o bom líder é uma pessoa esforçada, que pode firmar grandes planos e segue, com organização, na realização dos mesmos.
O líder tem a faculdade de influenciar os outros sujeitos. O seu comportamento ou as suas palavras conseguem incentivar os membros de um grupo para que trabalhem em conjunto com vista num objetivo comum.
Líder é aquele que tem a capacidade de administrar pessoas e equipes, de personalidades diferentes, e gerencia-las, mobilizando-as para objetivos comuns. Em uma definição mais simples, liderar é comunicar as pessoas seu valor e potencial de forma tão clara, tão forte em que elas acabem por vê-los em si mesmas e que seja capaz de se colocar em movimento sentido parte do processo de ver, fazer e tornam-se capazes.

O Líder Coach
Chamamos “Líder Coach” aquele indivíduo que usa técnicas de Coaching na gestão de pessoas e times, com o objetivo de fazer com que seus Liderados se percebam, entendam suas necessidades e projetem suas ideias e ideais.
Diferente do Coach, que é um profissional externo à organização, o Líder Coach integra o quadro de gestores da empresa, ocupando ali algum cargo de Liderança.

A diferença
O Coach é o profissional que exerce a profissão de Coaching, seja para uma empresa ou para um indivíduo específico. Ele é o responsável por treinar o seu Coachee baseando-se em técnicas e metodologias do Coaching que são capazes de trabalhar o desenvolvimento pessoal e humano de cada um, valorizando sempre as competências individuais, além de relaciona-las a um processo de evolução contínua.
Coaching é um processo de desenvolvimento humano, pautado em diversas ciências como: Psicologia, Sociologia, Neurociências, Programação Neurolinguística, e que usa de técnicas da Administração de Empresas, Gestão de Pessoas e do universo dos esportes para apoiar pessoas e empresas no alcance de metas, no desenvolvimento acelerado e, em sua evolução contínua.
A palavra Coaching significa “treinamento”, tem origem na língua inglesa (Coach) e foi utilizada pela primeira vez na cidade de Kócs, na Hungria, para designar carruagem de quatro rodas. No século XVIII, os nobres universitários da Inglaterra iam para suas aulas conduzidos em suas carruagens por cocheiros chamados Coacher.
Por volta de 1830, o termo Coach passou a ser utilizado na Universidade de Oxford como sinônimo de “tutor particular”, aquele que “carrega”, “conduz” e “prepara” os estudantes para seus exames. Em 1831 o termo Coaching foi usado pela primeira vez no âmbito dos esportes. Em 1950, o termo foi usado pela primeira vez na literatura de negócios, como uma habilidade de gerenciamento de pessoas.
Nós teremos em outro post algo só sobre esse assunto. 

As qualidades de um bom líder
Uma das grandes dúvidas que pairam sobre as cabeças dos administradores e empresários nos dias de hoje é: como ser um bom líder? Como gerenciar um grupo de pessoas sem que elas se sintam cobradas demais, ou chateadas com a pressão? Liderar e motivar pessoas sem pressão e cobrança é algo difícil de ser feito, mas é possível dosar a mão para não cometer erros em excesso.
É preciso saber exatamente o que e como fazer para que seus colaboradores o vejam como um líder verdadeiro, alguém que os inspira, que lhes dá abertura para participar e os faz trabalhar mais confiantes, e não um ditador que apenas cobra resultados, sem pensar no lado humano da relação. Por isso, saber atuar como um líder dentro de uma equipe é fundamental para o seu sucesso.
Contudo, chegar a esse objetivo não é tarefa fácil. Além de mostrar resultados, ter domínio pleno das funções e ser um profissional engajado, para ser um bom líder é preciso ter qualidades específicas — exatamente as que o diferem dos demais.

Honestidade
Um líder precisa ser admirado para ser seguido. Para isso, sua conduta ética tem que ser exemplar. Normalmente, os líderes seguem e passam aos subordinados os valores e crenças da empresa. O ideal é incentivar seus funcionários a criar o hábito da honestidade, o que influenciará o ambiente de trabalho e os resultados.

Capacidade de delegar
Delegar funções é essencial para criar uma equipe organizada e eficiente. Além de mostrar confiança nos colaboradores, você também tem liberdade para focar nas suas competências. O caminho para delegar é identificar os pontos fortes de cada um da equipe e tirar proveito dessas particularidades.

Capacidade para definir metas
Em pequenas e grandes empresas, existem sempre muitas coisas a fazer e metas a alcançar. Para não ficar perdido entre tantas atividades, o líder deve criar uma pequena lista do que realmente é prioridade. Só assim será possível chegar onde se quer.
Além disso, os líderes precisam comunicar os objetivos de forma simples e direta aos colaboradores. A clareza facilita o alcance do resultado esperado, pois simplifica a busca por soluções eficientes.

Comunicação
Ser capaz de descrever de forma clara o que você quer é extremamente importante para o bom funcionamento de uma equipe. Treinar novos membros e criar um ambiente de trabalho mais produtivo depende de uma comunicação saudável também. Estar acessível aos seus funcionários e conversar fora do horário de trabalho pode ajudar no processo de estabelecer uma boa comunicação.

Senso de humor
O ambiente de trabalho influencia — e muito — na produtividade. Ter um chefe mal-humorado pode atrapalhar nesse quesito. O bom humor, por outro lado, é um motivo a mais para as pessoas acordarem de manhã para virem trabalhar. Não levar problemas e preocupações tão a sério pode quebrar o clima tenso do dia a dia.

Confiança
Qualquer empresa enfrentará tempos ruins, mas cabe ao líder mostrar confiança no negócio e passar tranquilidade aos funcionários. Grande parte do trabalho do líder é apagar incêndios e manter a moral da equipe, assim como o nível de confiança no negócio.

Compromisso
Se você espera que sua equipe trabalhe duro e o faça com qualidade, você é o primeiro a dar esse exemplo. Não há motivação maior do que ver o chefe comprometido com o projeto que você também ajuda a criar. Provar seu comprometimento com a empresa só vai ganhar o respeito dos colaboradores, assim como inspirá-los a ir além.

Atitude positiva
Se sua equipe está feliz e otimista, ela não vai se importar de se doar um pouco mais por um objetivo comum. Como já foi dito, o exemplo é fundamental para os funcionários seguirem o líder. Portanto, ser otimista e ter atitudes positivas tornará o ambiente mais leve e produtivo.
A criação de um negócio, muitas vezes, envolve um pouco de visão. Especialmente em startups, inspirar sua equipe para investir no futuro é vital. Incentivar os funcionários e passar a sensação de que o negócio também é deles é a melhor forma de reter talentos e mantê-los engajados.

Criatividade
Como líder, é importante aprender a tomar decisões rápidas e lidar com improvisos. Abusar da criatividade pode ajudar nessas horas. Nem tudo vai correr conforme o planejado, e é aí que sua intuição entra em cena. Geralmente, se basear nas experiências passadas pode ajudar a tomar uma boa decisão.

Aprimorarão constante
Melhorar seu desenvolvimento pessoal pode ajudá-lo a se tornar um líder melhor. Para construir uma carreira, você deve manter-se aberto às mudanças e estar disposto a crescer.
Realizar uma avaliação periódica das suas próprias habilidades também contribui para saber se suas competências estão no nível adequado ou se têm de ser melhoradas.

Um bom líder precisa ter uma conduta distinta, que possa ser espelhada pelos demais funcionários. Além disso, ser capaz de liderar significa ter consciência de que aprimorar-se constantemente é fundamental.

http://institutobiblicocristao.blogspot.com.br/p/curso-basico-em-teologia.html#axzz59RwxHjgk

AS OBRIGAÇÕES DE UM LÍDER
Um líder necessita de muitas habilidades para desenvolver seu trabalho, e nesse resumo gostaria de dizer que não existe nenhuma poção mágica para você tornar-se um líder da noite para o dia, pois isso leva tempo, e em muitos casos até mesmo anos. Minha expectativa é conduzi-lo o mais rápido possível para seu autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, intelectual e espiritual através deste que será uma serie de post relacionado com liderança.
Na minha visão para se começar a ser um bom líder é preciso basicamente de cinco funções:
1- PLANEJAR 2- ORGANIZAR 3- DIRIGIR 4- TREINAR 5- CONTROLAR
PLANEJAR
Planejar é estudar, organizar, coordenar, ações a serem tomadas para a realização de uma atividade visando solucionar um problema ou alcançar um objetivo.
Assim sendo, planejar significa estabelecer os objetivos da uma organização ou de sua vida e por quais caminhos se chegará a eles. Afinal, nenhum projeto é feito no improviso. Ele é antes pensado e discutido, ou seja, planejado, e depois comunicado aos demais envolvidos. Além de questões internas da organização, devem-se levar em conta, na hora de planejar, os cenários do futuro para um bom planejamento. O próprio Deus tem seus planos, assim sendo, concluímos que Ele planeja e cria planos a curto e a longo prazo. como disse Jó: Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado. Jó 42:2.

Podemos concluir que para que sucesso na intenção de fazer é preciso saber o que é Planejamento. E planejamento é uma palavra que significa o ato ou efeito de planejar, criar um plano para aperfeiçoar a alcance de um determinado objetivo. Esta palavra pode abranger muitas áreas diferentes.
O planejamento consiste em uma importante tarefa de gestão e administração, que está relacionada com a preparação, organização e estruturação de um determinado objetivo. É essencial na tomada de decisões e execução dessas mesmas tarefas. Posteriormente, o planejamento também precisa da confirmação das decisões tomadas que foram acertadas. Necessitando de um feedback.
O feedback é uma palavra inglesa que significa realimentar ou dar resposta a uma determinado pedido ou acontecimento. O significado de feedback é utilizado em teorias da administração de organização, quando é dado um parecer sobre uma pessoa ou grupo de pessoas na realização de um trabalho com o intuito de avaliar o seu desempenho. É uma ação que revela os pontos positivos e negativos do trabalho executado tendo em vista a melhoria do mesmo.
Um indivíduo que utiliza o planejamento como uma ferramenta no seu trabalho demonstra um interesse em prever e organizar ações e processos que vão acontecer no futuro, aumentando a sua racionalidade e eficácia.

Planejamento de vida
Pare para pensar e responda: onde e como você gostaria de estar daqui a dez anos? Não pense que isso seria ansiedade de vida. Pode até parecer uma pergunta contraditória diante da imprevisibilidade da vida. Afinal, sabemos que Jesus disse: Portanto, vos afirmo: não andeis preocupados com a vossa própria vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as roupas?  Mateus 6:25. Entretanto, saber exatamente o que quer e definir os passos para chegar até esse objetivo são hábitos que proporcionam mais disciplina e empenho, além de um ato de fé. Sim porque, planeja é criar pelo poder da fé um futuro que desejo espero em Deus por ele, como está escrito: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem. Hebreus 11:1. Significa que com fé posso planejar, o que visualizo com meus olhos da fé. Afinal, não dá para contar apenas com um tiro no escuro. Porque, isso é falta de fé! Com fé posso criar um roteiro que norteie as nossas decisões a curto, médio e longo prazo. Principalmente quando se trata em termos de missão e vida.

Podemos dizer que o planejamento de vida é uma ferramenta que ajuda a conquistar os objetivos em todos os setores da vida. Planejar é pensar com antecedência, estruturando os passos que precisa dar para aproveitar as oportunidades que surjam pelo caminho e prever problemas que prejudiquem o alcance de seus objetivos. Quando você esboça esse projeto, consegue deixar as suas atitudes voltadas aos resultados propostos pela sua fé; como está escrito: Mas o justo viverá pela fé! Contudo, se retroceder, minha alma não terá prazer
nele. Hebreus 10:38.
Se você deixa seus planos na sua mente, as chances de serem esquecidos ou sabotados são muito grandes, isso sem contar que a elaboração desses objetivos acontece sem uma análise adequada de sua vida como um todo. Para que eles sejam realistas e bem delineados, demandam uma boa reflexão sobre a sua trajetória, bem como um levantamento de suas competências, habilidades e recursos disponíveis.
O planejamento de vida exige uma observação profunda para que você identifique como está o seu grau de satisfação em cada uma das áreas de sua vida naquele momento.  Procure analisá-las profundamente para identificar como gostaria que elas fossem e o que deve fazer para conseguir esse resultado.

Planejamento estratégico
O planejamento estratégico é um importante componente do planejamento organizacional e de vida também, que facilita de forma substancial a gestão de uma organização e sua vida.
Pensar e fazer planos de uma maneira estratégica é essencial no contexto da liderança, porque facilita na determinação de objetivos e estratégias para alcançar esses objetivos.
Planejar estrategicamente significa usar os recursos disponíveis de forma eficiente, aumentando a produtividade de um indivíduo ou organização. A gestão do tempo é crucial para qualquer organização, pois é um dos recursos mais valiosos à nossa disposição. A gestão estratégica dos riscos também é uma área importante para qualquer realização de planos.
Se as estratégias traçam o caminho, cabe a nós definir como este caminho será trilhado. É ainda papel nosso acompanhar se as estratégias definidas anteriormente são realmente seguras para nós ou se precisa passar por alguma readequação e até mesmo começar do zero.
Diante disso, o que podemos entender por estratégia? A estratégia nada mais é que um conjunto de ações que unem o planejamento, execução, controle a metas, planos e objetivos.
O planejamento financeiro também pode ser incluído em uma forma de planejamento estratégico. É de grande importância para a organização, sendo que remete para a previsão das receitas e despesas, criando uma estimativa dos meios financeiros que serão necessários para o futuro e manutenção da organização.

ORGANIZAR
Organizar é uma palavra originada do Grego "organon" que significa instrumento, utensílio, órgão ou aquilo com que se trabalha. Pôr em ordem, arrumar; dispor para funcionar.
Podemos dizer que não basta sermos pessoas bem planejadas se não soubermos nos organizar, isso é colocarmos os planejamentos em ordem de importância, isso é saber o que vem em primeiro lugar. Um líder para ser bom tem que aprender a se organizar, seja na vida pessoal ou no trabalho. Estive pensando: O dia tem 24 horas, eu te pergunto: Pôr que muitas pessoas conseguem estudar, trabalhar, namorar, sair com os amigos, jogar bola, ir ao teatro, cinema, ir a igreja, conversar com os amigos, assistir filmes, novelas, ouvir notícias e muitas outras coisas, e outras pessoas não conseguem fazer nem metade disso que foi falado?
Creio que isso acontece porque umas pessoas são organizadas e outras não. Não sei como é seu dia a dia. Porém é muito importante que você se organize para que possa conquistar seu espaço no mundo em que vivemos.
Assim sendo, podemos dizer que organizar seria a forma de conseguir tempo para tudo o que queremos fazer, principalmente nos dias de hoje, que uma das maiores dificuldades para quem quer ter sucesso em qualquer negócio é ser organizado.
O tempo parece fugir-nos por entre os dedos, fazendo com que nunca tenhamos oportunidade para fazermos tudo àquilo que queremos, acumulando tarefas para o dia seguinte. Se nos faltar organização.
Organização é a forma como se dispõe um sistema para atingir os resultados pretendidos. Normalmente são formadas por uma, duas ou mais pessoas que executam funções de modo controlado e coordenado com a missão de atingir um objetivo em comum com eficácia.
Assim, Podemos falar de organização escolar, organização empresarial, organização pessoal, organização de eventos, organização doméstica, etc. Em todas essas aplicações, o sentido de organização se baseia na forma com as pessoas se inter-relacionam entre si e na disposição e distribuição dos diversos elementos envolvidos, com vista a uma mesma finalidade de facilitar nosso sucesso.

DIRIGIR
O termo dirigir vem do latim dirigo, ere, pôr em linha reta, alinhar "dirigir", orientar um grupo de pessoas. = REGER; Indicar um rumo ou uma direção = DIRECIONAR, ENCAMINHAR, GUIAR; Mover em determinado sentido ou direção. Estar ou ter capacidade para estar no comando de um veículo (ex.: dirigir um caminhão; aprendeu a dirigir). = CONDUZIR, GUIAR.
Significa dizer que dirigir seria como  atuar de forma dinâmica, analisando detalhadamente o que foi planejado e organizado. Dirigir é então fazer as coisas acontecerem, pois não adianta somente ser bem planejado e organizado, se não sair do papel; é somente conhecimento, e nós precisamos nos dias atuais de pessoas que executem o que foi proposto. Não deixe que seus projetos fiquem no papel, ponha em prática e você se surpreenderá.
Dirigir é sem dúvida uma das tarefas mais meticulosas dentro de um processo, pois é exatamente a definição de como as atividades serão desenvolvidas. Dirigir é determinar a cadência, o ritmo, à velocidade em que será percorrido o caminho que leva ao alcance do objetivo estipulado. Dirigir é dar identidade ao processo, pois é o fazer acontecer, é a ação sendo de fato realizada. E por isso não se podem pular as etapas anteriores, pois, para agir se faz necessário saber quem faz e quando se dará tal ação.

TREINAR
A palavra treinar no dicionário significa exercitar-se para competições. No mundo em que vivemos não adianta planejar, organizar, dirigir, é necessário que treinemos, ou seja, tentar, errar, começar de novo, tentar, errar, começar de novo, até que consigamos nossos objetivos através do treino.
O treino é a ação e o efeito de treinar. Trata-se de um processo para adquirir conhecimentos, habilidades e capacidades.
No âmbito da religião treinar alude a um treino espiritual, cujo objetivo é purificar a mente e as ações para cumprir um conjunto de objetivo que aproximam a pessoa a Deus.
Convém destacar que o coaching é um tipo de treino que tem lugar no meio empresarial, que consiste num processo interativo e transparente através do qual o coach ou treinador e a pessoa implicada procuram a forma mais eficaz para alcançar os objetivos fixados, utilizando os seus próprios recursos e habilidades.
O processo de coaching parte do princípio de que a pessoa que recebe o treino é o indivíduo que dispõe da melhor informação para resolver as situações que enfrenta. Como tal, o treinador assiste o sujeito na medida em que o ensina a aprender por ele próprio.

CONTROLE
Controle é um substantivo utilizado para definir o domínio ou poder de fiscalizar e administrar determinada coisa; ter o controle da situação é dominar ou ter o poder sobre o que está acontecendo.
O termo controle pode ser aplicado em múltiplos contextos, com significados semelhantes: administrar, organizar ou dominar alguma coisa ou situação. O controle está relacionado com a administração, seja de documentos, de produtos, pessoas ou organização. Neste contexto, controlar significa verificar as condições de determinada coisa, analisá-la, compará-la e organizá-la com outros itens do mesmo grupo.
Assim sendo, podemos dizer que controle é inspecionar, medir, avaliar, mensurar, é observar se todo o processo está de fato conduzindo ao sucesso. Sempre é necessário analisar, um processo que não é inspecionado tende a desenvolver defeitos que o tornarão completamente infrutífero, ou pior, gerará frutos completamente danificados. O que é avaliado pode ser corrigido, tendo por base as premissas do que foi planejado, todavia, o que não é inspecionado tende a auferir um grau de soberba dada a sua autossuficiência de gerenciamento. Independente do processo quer seja físico, humano, mecânico ou sistêmico, todos adquirem vícios ao longo de suas repetições e são estes vícios que precisam ser prostrados ante as diretrizes do controle. Tudo que não é controlado tende acaba sendo destruído.

Todos os lideres devem saber que não basta você planejar, organizar, dirigir e treinar, se você não souber controlar suas atitudes, seus momentos de dificuldades, e outras sensações que envolvem o dia a dia de um bom líder. Controlar é ter paciência e saber a hora de falar e agir, é ter a noção exata de quando e como agir.
Espero que você tenha observado que essas cinco funções não existem sozinhas. Tenho visto muitas pessoas que sabem planejar, porém não sabem organizar-se, ou pessoas organizadas que não sabem dirigir, ou mesmo pessoas que dirigem bem suas vidas, mas, não gostam de arriscar ou treinar, existe também aqueles que fazem tudo que falamos, porém, não tem controle de seu potencial. Minha expectativa é que você perceba que não é impossível ser um bom líder, porém não é tão simples como parece, é necessário muito esforço e vontade. Comece praticar essas funções, olhe a sua volta e veja as pessoas que são líderes e tente identificar nelas estas funções citadas.
Para tornar-se um bom líder é necessário um bom conhecimento do mundo em que vivemos. Você deve ler pelo menos um jornal ou revista semanalmente, ouvir ou assistir um jornal diariamente ou saber pelo menos ás manchetes do dia.

Quando acompanhamos as noticias dentro do cenário brasileiro, podemos observar as mudanças na economia. No âmbito político e sociedade podemos observar a aceleração de privatizações de empresas estatais, a corrupção que destrói a imagem do Brasil. Na tecnologia, podemos observar uma maior informatização, automação, pesquisa e desenvolvimento e também passou a existir uma crescente preocupação com a qualidade.
Nós como líderes acima da média poderemos ver em tudo isso uma oportunidade para sair da crise que está a nível mundial.
No meu ponto de vista os lideres de igreja devem apresentar para os irmãos, não só uma esperança. Mas, uma visão acima da média para eles tomem como base a sua visão e criem uma nova oportunidade para suas vidas e projetos. Assim sendo, precisamos está alertas com os olhos bem abertos para ver além do ordinário e ver o extraordinário com os olhos da fé e da mente espiritual. Como está escrito: Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo. Marcos 13:33. No grego: βλεπετε αγρυπνειτε και προσευχεσθε ουκ οιδατε γαρ ποτε ο καιρος εστιν. O termo grego blepete é perceber, tomar consciência de, por meio dos sentidos, captar com a inteligência. O que nos diz que para nós lideres que devemos antes de orar e vigiar é ficar atentos e olhar além. Esse é o papel do líder conduzir seus liderados a lugares com diferente do habitual, e leva-los ao extraordinário. Como escrito nos salmos: Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Salmos 23:2.
        
No cenário mundial, podemos ver a globalização da economia, onde existem os blocos econômicos, como a comunidade europeia, outro aspecto que observamos é a massificação das marcas e também o individualismo. Em todo o mundo vemos que as pessoas estão muito mais exigentes.
Hoje existe uma menor distância entre o 1º mundo e os países em desenvolvimento. Outro ponto é a maior competitividade em todas as áreas, principalmente a de empregos, com isso acontece a maior probabilidade de riscos eminentes de ganha e perda, ou seja, o mundo dos negócios é regido por bolsas de valores, pois quando uma bolsa do outro lado do mundo caiu, nós aqui no Brasil sentimos rapidamente. Assim sendo, é natural que as pessoas fiquem ansiosas, deprimidas e sofrendo com tantos transtornos e opressão psíquica e espiritual.

Com todo esse avanço tecnológico é natural que os desejos fiquem guardados em nossas mentes, nossos corações. Estamos mais conectados e também mais afastados das pessoas e de nós mesmos.
Assim sendo, todos os indivíduos criam muitos, milhares de anseios e desejos, na vida sentimental, financeira, profissional e espiritual. Vivemos idealizando nossos anseios e desejos. É exatamente pelos anseios e desejos que somos movidos a cada dia, são eles que nos impulsionam dando direção a nossa existência. Os nossos objetivos, sonhos e metas, na verdade possuem direta ou indiretamente relação com alguns de nossos anseios e desejos, é mais fácil expor os nossos objetivos, sonhos e metas, do que expor nossos reais anseios e desejos.
Paulo sabia disso quando escreveu a Timóteo dizendo: Sabe, entretanto, disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios. 2 Timóteo 3:2. É devido a isso que defendo que o líder deve sempre está informado do que acontece a sua volta e ajudar, seus liderados a planejarem uma saída a curto e em longo prazo para criar uma solução de seus anseios. Afinal, não sabemos quando Jesus virá! Mas, não sabemos quando, enquanto isso aguardamos ansiosos esse momento.
Finalmente podemos dizer que os anseios nos fazem criar expectativas, com base em nossas expectativas nos preparamos para realizar nossos desejos, a ansiedade em nível que nos impulsiona a buscar até concretizar nossos desejos, essa ansiedade e natural e bem- vinda. A ansiedade que lhe tira o sono ate você conseguir estabelecer suas metas, a ansiedade que lhe incomoda até você dar os primeiros passos para uma vida nova, para buscar o bem do seu próximo. A ansiedade que lhe provoca mudanças, que busca novos horizontes. Essa ansiedade deve fazer parte da sua vida.

CONTINUA...

SHALOM ADONAY

José Alfinyahu, Teólogo, Parapsicólogo, Psicanalista, Professor, Th.M em bíblia e Th.D em Teologia Sistemática.

Declaração de Direitos Autorais

O conteúdo em nosso site é produzido por Instituto Bíblico Cristão, e pertence por direito ao autor, publicador e/IBC.org. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de IBC.org. e inclua essa nota.






SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA

segunda-feira, 5 de março de 2018

JESUS, A BÍBLIA E A HOMOSSEXUALIDADE

JESUS A BÍBLIA E A HOMOSSEXUALIDADE

JESUS A BÍBLIA E A HOMOSSEXUALIDADE
JESUS A BÍBLIA E A HOMOSSEXUALIDADE
Muito se tem falado sobre homossexualismo, alguns fazem apologia e outros condenam de forma veemente e por isso são taxados de homofóbicos. Vivemos tempos que fala o que pensamos é criar inimigos, que não sabem se defender ou não tem defesa para o que eles praticam e assim não encontram outra forma a não ser atacar com mentiras os que expõem suas vidas erradas. Nós faremos uso da bíblia e seus ensinos para mostrar a realidade dos fatos referente ao assunto em questão. Nosso objetivo é informa ao povo evangélico e cristão as verdades descritas nas paginas da bíblia referente ao homossexualismo.
Para começar podemos dizer que é gritante os ensinos de Jesus e da bíblia sobre o assunto. Porém, mesmo que alguns neguem a veracidade dos fatos bíblicos, necessário se faz dizer que antes mesmo das Escrituras bíblicas condene o homossexualismo, a própria lei natural o repudia. Isto porque, o homossexualismo é antes de tudo uma aberração ou um desvio das funções que o Criador instituiu. Se existem dois sexos, isto se dá precisamente para que um complemente o outro; o homem tem predicados que a mulher não tem, e vice-versa. Por isto o casamento só pode ocorrer natural e legitimamente entre homem e mulher.
O homossexualismo é um assunto polêmico em muitas sociedades. Para alguns, é uma questão de direitos iguais para que o casamento entre pessoas do mesmo sexo seja legalizado. Para muitos é também uma questão moral e religiosa, pois é tratada na Bíblia. Sabemos, contudo, que debates, discussões, altercações e, infelizmente, até violência tem ocorrido por causa desse assunto tão polemico. Já escrevemos outros assuntos relacionados com o tema em questão, são eles o Gene Gay I, Gene Gay II e Ideologia do Gênero uma estratégia de satanás que todos nossos leitores podem ler depois porque deixarei o link neste poste.
Ideologia do gênero foi refutada cientificamente VEJA O VIDEO

JESUS E O HOMOSSEXUALISMO
Os homossexuais argumentam que Jesus Cristo não falou contra o homossexualismo. Mas, quando examinamos a bíblia encontramos o ensino de Jesus contra o homossexualismo. Em suas pregações Jesus mostra que o homossexualismo é um pecado quando chega o qualifica como prostituição.
Primeiro Ele disse, em Mateus 19,9: Quem se divorciar de sua esposa, exceto por causa de prostituição, e se casar com outra, comete adultério.
Notamos que a a palavra grega para “protituição” que Mateus empregou para transcrever as palavras de Jesus é Porneía e o termo grego Porneía relaciona-se com o verbo porneúo, que significa “entregar-se a relações sexuais ilícitas”.
A melhor maneira de entender o que está escrito em Mateus 19,9 é a interpretação bíblia com a bíblia, porque  a primeira regra de interpretação da bíblia diz: a bíblia se interpreta por si mesmo.
E para isso temos que comparar a passagem em questão com a bíblia para entender o que está escrito. Assim sendo, o melhor modo de entender o que está incluído nestes termos é verificar como eles são usados em outros lugares da bíblia. Analisando uma palavra similar que aparece na Bíblia em Judas 7, na descrição do pecado de certas cidades antigas: “Sodoma e Gomorra e das cidades vizinhas, que. . . cometeram imoralidade; notamos que a palavra usada é uma forma intensiva de Porneúo que nada mais que a perversão sexual. Assim sendo; eles sofreram o castigo do fogo eterno, e o exemplo deles é um aviso claro a todos.”
Concluímos então que, por causa da “relação sexual ilícita”, ou seja, Porneía, é que foram condenados os habitantes de Sodoma e Gomorra. É por isso que até os dias de hoje, o termo sodomitas é um sinônimo para quem pratica a homossexualidade.
Sendo a bíblia uma fiel interprete se si mesmo, temos nos ensinos de Jesus aqui descrito a condenação do homossexualismo.
Para quem duvidar podemos analisar Mateus 19:4-6 que mostrar Jesus reforçando seu ensino contra o homossexualismo quando diz: Não tendes lido que, no princípio, o Criador os fez macho e fêmea e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem. ARC.
Note que Jesus foi enfático ao dizer: O Criador os fez macho e fêmea.
O texto é bem explicito quando descreve Jesus dizendo Macho e Fêmea, Ele sentencia os gêneros que foram criados, estabelecidos por Deus e confirmado em seus ensinos como sendo essa a real forma de ser do ser humano, ou seja, Macho e Fêmea.
Podemos nota que Jesus não disse: O criador criou Macho, Fêmea, Gay e Lesbica. Não! O que Deus criou foram HOMEM E MULHER. O resto e criação do demônio que tenta destruir a criação de Deus.
Há quem questione dizendo que na bíblia não tem o termo homossexualismo. Porém, na bíblia não tem o termo Trindade e tantos outros termos, mas, existe o ensino. Assim sendo, na bíblia pode não existir o termo homossexualismo, mas, existe o ensino que condena a pratica homossexual e nós veremos no decorrer deste assunto descrito aqui. 
Para quem tem visão e quer ir além de si mesmo e sua forma de viver, perceberá que Jesus ao citar Sodoma e sua destruição está condenando o ato homossexual. Afinal, este foi o pecado de Sodoma.
Jesus apenas afirma que o castigo de Sodoma será menos do que o daquelas cidades, porque Sodoma não teve um sinal, como Jesus curando um cego ou multiplicando os pães, enquanto aqueles tiveram, porém, não se converteram. Tanto uma como outra, nas palavras de Cristo, serão condenadas ao inferno, a diferença está na intensidade do sofrimento de cada uma. Como está escrito: Então começou ele a lançar em rosto às cidades onde se operou a maior parte dos seus prodígios o não se haverem arrependido, dizendo: Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se tivessem sido feitos em Tiro e em Sidôn os milagres que foram feitos em vosso meio, há muito tempo elas se teriam arrependido sob o cilício e a cinza. Por isso, vos digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Tiro e para Sidônia que para vós! E tu, Cafarnaum, serás elevada até o céu? Não! Serás atirada até o inferno! Porque, se Sodoma tivesse visto os milagres que foram feitos dentro dos teus muros, subsistiria até este dia. Por isso, te digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Sodoma do que para ti. Mateus 11,20-24.
Como podemos ver a condenação que Jesus faz da homossexualidade é real e enfática quando ele cita a condenação dos praticantes da homossexualidade conhecidos como SODOMITAS nos tempos Neotestamentário. Apesar de ficar evidente a condenação do erro ao pregar o correto, podemos ver Jesus condenado à homossexualidade de maneira direta. Só cegos espirituais não compreendem isso.
Para aqueles que têm um discurso político e não bíblico sobre a homossexualidade, esquecem ou são cegos espirituais para não ver que Jesus condena o homossexualismo de forma plena em seus ensinos.
O que todos devem lembrar e entender é que Jesus era judeu, vivendo sob a lei de Moisés. Seu uso do termo Porneía, evidentemente inclui ‘todas as relações proscritas pela Lei Mosaica’. Esta Lei incluía entre as suas proibições o seguinte mandamento: “Não te deites com um homem assim como alguém se deita com uma mulher; é uma abominação.” Levitico 18,22, e o que vemos sendo proibido aqui é condenado por Jesus como sendo Porneía, ou seja, relação sexual ilícita, e Porneía  é evidentemente condenado por Deus através de Moisés no Antigo Testamento.
Para quem pensa que vivemos no tempo da graça e que Jesus anulou o antigo para fazer o novo, e que Porneia é coisa do antigo testamento, esquece ou talvez não saiba que Jesus foi categórico ao dizer: Não penseis que vim destruir a Lei ou os Profetas. Eu não vim para anular, mas para cumprir. Mateus 5:17.

BÍBLIA E A HOMOSSEXUALIDADE
A grande verdade é que na bíblia, Deus manda exclui do meio do seu povo, os homossexuais, como podemos ler: Ora, as pessoas que viviam em Sodoma eram extremamente malignas e praticavam pecados horríveis contra o Senhor.  Genesis 13.13.
Quando os enviados por Deus foram a Sodoma para livrar a família de Ló da destruição, encontramos a história que descreve a depravação dos homens daquela cidade. Segundo o texto de Genesis  eles não tinham ainda deitado, quando a casa foi cercada pelos homens da cidade, os homens de Sodoma, desde jovens até velhos, todo o povo, sem exceção. Chamaram Ló e lhe ordenaram, dizendo: Onde estão os homens que vieram para a tua casa esta noite? Traze-os aqui fora para que tenhamos relações sexuais com eles. Genesis 19.4-5.
Na versão NIV está escrito assim: Eles chamaram a Ló, onde estão os homens que vieram a você esta noite? Traga-os para nós para que possamos fazer sexo com eles. Genesis 19.4-5.
Nos dias de hoje os praticantes e simpatizantes dos hábitos próprio dos habitantes de Sodoma dizem que os moradores só queriam conhecer os visitantes da casa Ló. Porém, quando analisamos o texto em questão podemos ver que na verdade os moradores de Sodoma queriam mesmo era fazer sexo com aqueles visitantes que foram até a casa de Ló. Segundo texto Ló já sabia das praticas dos Sodomitas e foi falar com os cidadãos daquela cidade, como está escrito: Então saiu Ló a eles à porta, e fechou a porta atrás de si, e disse: Meus irmãos, rogo-vos que não façais mal; Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram homens; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for aos vossos olhos; somente nada façais a estes homens, porque por isso vieram à sombra do meu telhado. Gênesis 19:6-8
Na versão NTLH diz: Ló saiu para falar com os homens. Ele fechou bem a porta e disse: Por favor, meus amigos, não cometam esse crime! Prestem atenção! Tenho duas filhas que ainda são virgens. Vou trazê-las aqui fora para vocês. Façam com elas o que quiserem. Porém não façam nada com esses homens, pois são meus hóspedes, e eu tenho o dever de protegê-los. Gênesis 19:6-8.
Não há nem necessidade de uma hermenêutica avançada para se entender que se tratava de sexo anal aqui nesta passagem. O povo Sodomita era tão depravado por sexo homossexual que não quiseram as mulheres virgem o que eles queriam era sodomizar os visitantes, ou seja, queria era sexo homossexual com aqueles homens que estavam na casa de Ló. Vemos isso na passagem que diz: Eles, porém, disseram: Sai daí. Disseram mais: Como estrangeiro este indivíduo veio aqui habitar, e quer nos dar lição de moral em tudo? Gênesis 19:9.
Como podemos obeservar a intenção é claramente pratica de homossexualismo porque segundo o texto; Então empurraram Ló com violência e avançaram para arrombar a porta. Gênesis 19:9. Para querer fazer sexo com aqueles visitantes que estavam na casa de Ló.
O texto em questão continua relatando a intenção dos Sodomitas e a ação dos anjos que estavam na casa de Ló: Nisso, os dois visitantes agarraram Ló, puxaram-no para dentro e fecharam a porta. 11 Depois feriram de cegueira os homens que estavam à porta da casa, dos mais jovens aos mais velhos, de maneira que não conseguiam encontrar a porta. Gênesis 19:10 NIV.
Toda uma nação foi condenada por que quebrou o antigo código estabelecido por Deus quando criou os seres humanos que diz: E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Gênesis 1:27. No texto não diz que Deus criou Gay e Lesbicas. Mas, o texto diz;  homem e mulher os criou. E o mandamento é: Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. Gênesis 2:24.
Temos este mandamento mais especificado em Levitico 20,13 quando diz; "O homem que se deita com outro homem como se fosse uma mulher, ambos cometeram uma abominação; deverão morrer, e o seu sangue cairá sobre eles".
Além de Jesus ensina sobre isso paulo reforça de forma mais especifica quando diz: "Não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos iludais. Nem os impudicos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os depravados, nem os efeminados nem os sodomitas... herdarão o Reino de Deus. 1Cor 6,9s.
Vários são os versos bíblicos que condenam a pratica homossexual e o homossexualismo, somente um cego ou alguém que tem a mente cauterizada pelo pecado que não ver ou aceita os ensinos da bíblia e os mandamentos de Deus. Como está escrito: E também os homens deixam as relações naturais com as mulheres e se queimam de paixão uns pelos outros. Homens têm relações vergonhosas uns com os outros e por isso recebem em si mesmos o castigo que merecem por causa dos seus erros. O termo descrito aqui é claramente  homens homossexuais. Gen 19.4-5; Rom 1.26-28.
E não importa se é no Antigo ou Novo Testamento, porque, em toda bíblia podemos ver a condenação ao homossexualismo. Mas, falando em Antigo Testamento vamos da uma analisada nele já que os seus ensinos não foram abolido como alguns pensam.


HOMOSSEXUALISMO E O ANTIGO TESTAMENTO
No Antigo Testamento o homossexualismo é discutido mais explicitamente. E muitos são as proibições da lei contra a prática homossexual. As mais antigas são os registros históricos conhecidos contra as cidades de  Sodoma e Gomorra e Gibeá.
Nós não precisamos gastar muito tempo estabelecendo claramente o ponto de vista bíblico e, assim, a opinião que deve ser defendida pelos cristãos. Porque, o ensino contra o homossexualismo no antigo testamento é gritante. Em nossa argumentação, basta examinar o tratamento dispensado pela lei contra à prática homossexual.
A Proibição da Lei quanto ao homossexualismo diz: Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é Maldição. Levítico 18:22. A versão ACF diz: Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação.

Como podemos ver a lei proíbe diretamente o ato homossexual. Ela não faz distinção se o ato é, ou não, consensual. A ordenança vem no meio de uma seção de leis relativas a relações sexuais. Em cada verso, nenhuma lei tem consequência individual, mas todas elas se referem a coisas que não deveriam ser feitas. Todos os itens da lista são apresentados como “contaminação” (Lv. 18:24) e são chamados de “abominação” ou maldição(Lv. 18: 27, 30). Todos eles têm o mesmo peso e o homossexualismo não é destacado dos demais pecados sexuais. Afinal, o homossexualismo por si só se distinguem, e está condenado como demais. Ele, é da mesma forma, quem quebra qualquer uma dessas leis deveria ser “eliminado do seu povo”. Lv. 18:29. Estas atividades sexuais são as mesmas que trouxeram o julgamento de Deus sobre os antigos habitantes da terra. Lv. 18:24. Portanto, na lei, o homossexualismo era uma ofensa contra Deus. Esse pecado, junto com os outros pecados sexuais, não deveria, de forma alguma, existir em Israel.

A Pena da Lei para o homossexual era a morte como podemos ver em Lv. 20:13, que diz: Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles.
A lei mostra claramente as consequências para os atos homossexuais praticados sob o governo teocrático de Israel. Ela vem no meio de uma lista detalhada de crimes e castigos. A seção em particular trata das ofensas sexuais e suas punições. A pena para o ato homossexual deveria ser a morte de ambos os participantes. Parece que isso esclarece o significado de ser “eliminado do seu povo” no tópico anterior sobre os pecados sexuais de Levítico 18. Portanto, na lei, o homossexualismo era um pecado contra Deus que devia ser punido com a pena capital.
Assim sendo, quando encontramos a eliminação de toda uma nação como está escrito em Gênesis 19:1-11. Como no caso de Sodoma e Gomorra não devemos nos escandalizar ou pensar que a lei era severa demais. Porque, existiam mulheres o suficiente para os homens satisfazerem seus desejos sexuais. Porém, seus anseios tinham como objetivo a destruição da imagem de Deus existente na raça humana.
Quando lemos em Gênesis 18:20-21, Deus dizendo que iria destruir Sodoma e Gomorra, porque o “clamor... e o seu pecado se tem agravado muito”. Quando dois anjos foram ver “se eles eram tão perversos quanto o clamor sugeria”, vemos isso no caso de Ló e os mensageiros de Deus, porque, ambos foram tratados com total falta de hospitalidade pelos habitantes do lugar, com a exceção de Ló que além de hospeda os visitantes, os defenderam ao ponto de sacrifica a virgindade de suas filhas para aquelas pessoas tivesse seus desejos sexuais satisfeitos. Na realidade, todos os homens da cidade tentaram desesperadamente abusar sexualmente dos mensageiros do Senhor.
Muitos esforços têm sido feitos, pelos praticantes e simpatizantes do homossexualismo, no sentido de ver o pecado daqueles homens apenas como uma questão de falta de hospitalidade ou de relação antinatural com anjos. Porém, quando lemos com atenção descobrimos que o texto não mostra em lugar algum que alguém da cidade soubesse que se tratava de anjos. Na verdade o que vemos é um desejo de fazer sexo homossexual com aqueles visitantes. E isso porque a pratica homossexual era natural em Sodoma e Gomorra. A prova está no fato de Ló oferecer suas filhas e os sodomitas rejeitarem. Porque, estavam inflamados de desejos homossexuais. Genesis. 19:5 e 19:8.
Para percebemos isto basta uma leitura superficial ao pé da letra do texto em questão, que veremos que o pecado de Sodoma e Gomorra inclui não só a falta de hospitalidade como também a atividade homossexual no texto em questão. Assim sendo, podemos concluir que a melhor interpretação da passagem é o desejo homossexual dos moradores da cidade. Isso é corroborado pelo texto de Judas 1:7 que diz: como Sodoma, e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregado à prostituição como aqueles, seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição. Judas 1:7.

Embora alguns aspectos deste versículo, referente aos desejos antinaturais semelhantes aos dos anjos, possam levantar algumas questões, o texto definitivamente vai sempre mostrar a conduta pecaminosa e imoral dos habitantes da cidade como também a falta de hospitalidade. E a única imoralidade sexual conhecida de Sodoma e Gomorra é a tentativa de abuso homossexual contra os anjos. Na realidade, os homens daquela cidade escarneceram da tentativa de Ló, de acalmá-los com a oferta que para eles era imoralidade heterossexual com as filhas de Ló. Genesis. 19:9.
Assim sendo, antes da promulgação da lei, Deus considerou esta tentativa de abuso homossexual que continuou mesmo depois dos homens terem ficado cegos, e como parte da grande perversidade é que veio a destruição total das duas cidades.
Para reforça está interpretação de abuso homossexual em Genesis. 19:5 -8, destacamos a passagem de Juízes 19 que mostra outro exemplo de falta de hospitalidade e tentativa de abuso homossexual. Neste caso, não foram todos os homens da cidade que estiveram envolvidos, só “os filhos de Belial”. Aqui, no entanto, eles foram apaziguados com a concubina do viajante que foi enviada em seu lugar. Ela morreu, depois do que eles lhe fizeram. Juízes 19:15-25.
Estes acontecimentos levaram à primeira guerra civil da história de Israel, e quase à extinção da tribo de Benjamim. A guerra foi sancionada pela aprovação de Deus, após Gibeá ter recusado entregar os ofensores para julgamento. Juízes 20:18; 20:23; 20:28; 20:35.

Para termina vamos cita o caso de Davi e Jônatas que segundo ativistas da causa homossexual, alguns historiadores e teólogos formados nas coxas ou simpatizantes da causa Gay afirmam que Davi e Jônatas tiveram um relacionamento gay.
Provavelmente algum dos homossexuais vão me taxa de homofóbico. Entretanto, há vários assuntos que não concordo, porque, são desvio bíblico de pseudopastor ou teólogo Maria vai com as outras. Entre esses assunto posso destacar a teologia da prosperidade, e também a teologia gay defendida por teólogos praticantes de homossexualismo ou simpatizantes da causa Gay, que tentam procurar apoio bíblico para legitimar suas práticas pecaminosas, dizendo que a bíblia menciona casais gays, como Davi e Jônatas, Noemi e Rute, Jesus e o apóstolo João, Paulo e Timóteo.
Para afirmação que Davi e Jônatas tiveram uma relação homoafetiva os ativistas do movimento homossexual citam os seguintes textos:
E sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi; e Jônatas o amou, como à sua própria alma.  1 Samuel 18.1, ARC.

E, indo-se o moço, levantou-se Davi do lado do sul, e lançou-se sobre o seu rosto em terra, e inclinou-se três vezes; e beijaram-se um ao outro, e choraram juntos, mas Davi chorou muito mais. 1 Samuel 20.41, ARC.
Concluir que há uma relação homossexual nesses textos é falta de conhecimento bíblico e um total amadorismo dos que se dizem interprete da palavra de Deus. Isso para não dizer que estes estudantes são na verdade praticantes do homossexualismo ou simpatizantes da causa Gay. Porque, o contexto que não pode ser ignorado nos deixa claro que amizade deles era laços de amizade entre os dois. Será que dois homens não podem ter uma amizade forte e sincera sem que ela seja gay?

O termo hebraico que descreve o termo: Jônatas o amou, como à sua própria alma; Significa conectar,  conspirar ou conciliábulo de está junto politicamente. 1 Samuel 18:1 no hebraico.
וַיְהִי, כְּכַלֹּתוֹ לְדַבֵּר אֶל-שָׁאוּל, וְנֶפֶשׁ יְהוֹנָתָן, נִקְשְׁרָה בְּנֶפֶשׁ דָּוִד; ויאהבו (וַיֶּאֱהָבֵהוּ) יְהוֹנָתָן, כְּנַפְשׁוֹ.

Assim sendo, alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi, descreve a amizade que fez até mesmo com que Jônatas preferisse Davi a seu pai Saul. E provável que a amizade mais verdadeira entre homens registrada na Bíblia seja a que uniu Jônatas e Davi.  A amizade de Jônatas para com Davi demonstra a fiel e verdadeira amizade entre pessoas que compartilham dos mesmos sentimentos.
Segundo, a linguagem concernente o respeito de Jônatas por Davi é significante à luz do resto da história de Davi. A alma de Jônatas se ligou (niqsêrâ) a Davi, implicando uma devoção inseparável a ele. Veja Genesis 44.30-31. Jônatas também o amou [vaye êhãbêü] como à sua própria alma. O termo hebraico para “amor” é usado na formação de tratados no mundo antigo e, portanto, carrega consigo tonalidades políticas significando conspiração. Assim sendo, o termo hebraico, indica a lealdade política de Jônatas a Davi em acréscimo à sua afeição pessoal por ele que implica uma devoção inseparável. Podemos dizer que o íntimo relacionamento entre Jônatas e Davi é visto na Bíblia como um modelo de amizade e lealdade. Em nenhum lugar das Escrituras se encontra referência a uma ligação homossexual entre eles.

O versículo normalmente citado para justificar o homossexualismo é aquele em que Davi chora a morte de Jônatas, dizendo: ‘Teu amor me era mais precioso que o amor das mulheres’. 2 Sm 1.26.
A tradução fiel ao hebraico diz: Como estou triste por você, Jônatas, meu irmão! Como eu lhe queria bem!
Sua amizade era, para mim, mais preciosa que o amor das mulheres.
Quando lemos esta passagem no hebraico, a palavra hebraica é ahavá não significa neste texto o amor no sentido conjugal ou sexual, mas no sentido paternal como ocorre entre ‘Isaque gostava de Esaú’, como está Genesis 25.28. Assim sendo, o sentido hebraico de 2 Samuel 1.26. é amizade; vemos isso no termo que diz: ‘Saul afeiçoou-se a Davi’, em 1 Sm 16.21, a palavra hebraica ahavá também ocorre no sentido de amor a Deus como está escrito: Amarás o Senhor, teu Deus, em Deuteronômio 6.5. O mais interessante deste termo é que ele também ocorre no sentido de amor ao próximo; como está escrito em Levitico 19.18 ‘Amarás o próximo como a ti mesmo’,.
Em todos estes exemplos citados aqui, o verbo usado na Torá é ahavá. É por razão linguística que a maioria das traduções bíblicas cita 1 Samuel 1.26 ‘Tua amizade me era mais preciosa que o amor das mulheres’.
Assim sendo, enxergar nesses versículos uma relação homossexual é “eisegese”, ou seja, forçar o texto a dizer aquilo que penso, e não aquilo que de fato é.
Para finalizar as versões que trazem o verdadeiro sentido do hebraico referente a amizade de Davi e Jonatas.
A NVI e a Bíblia de Jerusalém (BJ) resgatam melhor o sentido do texto hebraico nesses versículos, dizendo:
“Depois dessa conversa de Davi com Saul, surgiu tão grande amizade entre Jônatas e Davi que Jônatas tornou-se o seu melhor amigo” 1Sm 18.1 – NVI ou “a alma de Jônatas se apegou a de Davi”, BJ.

“Depois que o menino foi embora, Davi saiu do lado sul da pedra e inclinou-se três vezes perante Jônatas, rosto em terra. Então despediram-se beijando um ao outro e chorando; Davi chorou ainda mais do que Jônatas.” 1Sm 20.41, NVI

“Como estou triste por você, Jônatas, meu irmão! Como eu lhe queria bem! Sua amizade era, para mim, mais preciosa (ou mais cara como sugere a BJ) que o amor das mulheres!” 2Sm 1.26
Como podemos ver nesses textos não encontramos conotações sexuais, só a expressão da forte aliança entre dois amigos. Não é difícil entender que Jônatas aceitou ser o segundo, abriu mão do trono. Compreendeu que o reinado de Israel foi dado a Davi pelo próprio Deus.

Mas, tem aqueles homossexuais ou simpatizantes que falam e os beijos de Davi em Jonatas relatados na Bíblia. Porém, o beijo sempre foi uma prova de amor e afeto. É preciso distorcer o texto para enxergar qualquer coisa no beijo entre Davi e Jônatas além de amizade e afeição. Porque em Romanos 16:16 está escrito: “Saudai-vos uns aos outros com ósculo, que é beijo santo.” Encontramos também em 1 Coríntios 16:20; 2 Coríntios 13:12; 1 Tessalonicenses 5:26 e 1 Pedro 5:14. Podemos ver como é abundante a prática do beijo nas Escrituras: Gên_33:4 Então Esaú correu-lhe ao encontro, abraçou-o, lançou-se-lhe ao pescoço, e o beijou; e eles choraram.

Gên_45:15 E José beijou a todos os seus irmãos, chorando sobre eles; depois seus irmãos falaram com ele.

Gên_50:1 Então José se lançou sobre o rosto de seu pai, chorou sobre ele e o beijou.

Êxo_4:27 Disse o Senhor a Arão: Vai ao deserto, ao encontro de Moisés. E ele foi e, encontrando-o no monte de Deus, o beijou:

Êxo_18:7 Então saiu Moisés ao encontro de seu sogro, inclinou-se diante dele e o beijou;

Rut_1:14 Então levantaram a voz, e tornaram a chorar; e Orfa beijou a sua sogra

1Sm_10:1 Então Samuel tomou um vaso de azeite, e o derramou sobre a cabeça de Saul, e o beijou,

2Sm_19:39 Havendo, pois, todo o povo passado o Jordão, e tendo passado também o rei, beijou o rei a Barzilai,

Luc_7:45 Não me deste ósculo [beijo]; ela, porém, desde que entrei, não tem cessado de beijar-me os pés

Rom_16:16 Saudai-vos uns aos outros com ósculo [beijo] santo. - também em 1 Co 16:20; 2 Co 13:12; 1 Ts 5:26 e 1 Pe 5:14.

A grande verdade é que na Velha Aliança é "sombra", uma alegoria para a Nova Aliança. Davi aponta para Cristo e Jonatas aponta para João Batista e também para João, o Emissário! João amou Cristo como a sua própria alma. Amou no sentido espiritual, puro não no sentido sexual. Assim também Jonatas ama Davi, não no sentido sexual! Lembra que João o Emissário recostava sua cabeça no peito de Cristo?
Assim sendo, Jônatas fez um juramento de amizade com Davi, porquanto tornara-se seu melhor amigo. 1 Sm 18.3.
Pois Jônatas descobriu o plano de seu pai, que é matar a Davi, porque sabia que Deus o havia sido escolhido para reinar em seu lugar, Jônatas sabendo que o reinado do seu pai Saul estava no fim, e Saul estava dissídio a matar a Davi a qualquer custo, então Jônatas não tinha nenhuma alternativa, precisava defender sem amigo, pois ele tinha feito pacto, , Então Jônatas encorajou a Davi, dizendo: “Vai em paz. Quanto ao pacto de amizade leal que juramos um ao outro em o Nome do SENHOR, que o próprio Javé seja testemunha entre mim e ti, entre a minha descendência e a tua!” E assim, Davi partiu e Jônatas retornou à cidade. 1 Sm 20.42.

A interpretação gay do texto bíblico é destituída de fundamento. Porque, na verdade, Davi nutriu para com Jonatas a amizade de dois bons companheiros de luta, interessados em apaziguar os ânimos do rei Saul; Davi era o perseguido e Jonatas o protetor de Davi. Esta atitude de Jonatas basta para explicar a profunda gratidão e amizade de Davi para com Jonatas.
Notemos, aliás, que Davi teve muitas mulheres — o que não se dá com os homossexuais propriamente ditos. Seja citado o texto de 2Sam 5, 13-16:
"À sua chegada de Hebron, tomou Davi ainda concubinas e mulheres em Jerusalém, e nasceram-lhe filhos e filhas. Estes são os nomes dos filhos que lhe nasceram em Jerusalém: Samua, Sobab, Natã, Salomão, Jebaar, Elisau, Nafeg, Jáfia, Elisama, Baalida, Elifalet". Devemos considerar também os dizeres de 2Sm 16,21, que falam repetidamente das "concubinas de Davi". Sem contar que a bíblia deixa bem clara, que Davi gostava mesmo é de mulher, tanto que teve mais de uma. Não deixando duvidas sobre sua preferência heterossexual sexual.

Leia também a 
A IDEOLOGIA DO GÊNERO UMA ESTRATÉGIA DE LÚCIFER

HOMOSSEXUALISMO E O NOVO TESTAMENTO
O ensino do Novo Testamento sobre o assunto é geralmente minimizado pelos defensores do estilo de vida homossexual. A ignorância bíblica é tão grande juntamente com a cegueira espiritual que esses defensores são incapazes de ver o ensino de Jesus sobre o assunto. Afinal, se seguirmos a linha de argumento proposta pela teoria de que Jesus não falou nada usando o termo homossexual, teríamos de concluir que o uso de tóxicos, o estupro, o incesto, a escravidão humana são práticas legítimas, já que Jesus não as condenou especificamente usando esses termos.
A verdade é que Jesus falou sobre relacionamentos sexuais descremos no tópico Jesus e a homossexualidade. E como já disse e repito o ensino de Jesus sobre o assunto é claro e tão profunda que indica que a impureza sexual, porneia, se origina no coração do homem e não precisa de consumação física para ser ofensiva ao caráter santo de Deus. Mt 5:27-30. Basta um olhar com intenção de desejo que já estaremos pecando. Significa dizer que o relacionamento original e ideal de Deus é heterossexual, monogâmico e permanente. Mt 19:3-12.

Assim sendo, podemos dizer que o desejo homossexual é uma abominação para Deus e para o homem. Sabemos disso quando analisamos o termo hebraico ‘ebah’ traduzido como abominação. Porque, na verdade, a palavra “abominação”, usada tanto em menções de atos homossexuais em Levítico, significa algo moralmente repugnante e também tem uma forte implicação da idolatria pessoal. Isto porque todo homossexual é um nazista, com tendências egoísta sendo ele amante de si mesmo. Significa que ele pensa primeiro em satisfazer seu desejo homossexual do que ser fiel as doutrinas de Deus descritas na bíblia. Verdade comprovada em sua busca incessante para justifica seu desejo pecaminoso conhecido como homossexualismo.
Todos os nossos desejos foram distorcidos pelo pecado. Mas Paulo descreve o comportamento homossexual das lésbicas e do sexo masculino como “não natural”.

Esse fato é comprovado naqueles homossexuais que ficam décadas lendo e estudando a bíblia para justifica seu desejo homossexual, alguns deles tem até doutorado adquirido em seminário bíblico e as vezes até conhecem o hebraico e o grego, porém, desconhecem o Deus da bíblia. Porque está escrito pelos frutos os conhecereis. Não pode um arvora boa dar fruto mau e não pode uma arvore doente ensina ou viver o verdadeiro evangelho praticando o homossexualismo. 

Pelos seus frutos os conhecereis. É possível alguém colher uvas de um espinheiro ou figos das ervas daninhas? Mateus 7:16. Pode alguém defender o homossexualismo praticando o homossexualismo. Pode alguém ensina sobre o adultério praticando o adultério? Pode alguém ensina sobre a imoralidade praticando a imoralidade? Asseguro que não! Como está escrito: Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.

Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e atirada ao fogo. Nem todo aquele que diz a mim: ‘Senhor, Senhor!’ entrará no Reino dos céus, mas somente o que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Mateus 7:20- 22.

No Novo Testamento, há muitos textos, de modo geral, proíbem a “imoralidade sexual”. Veja; Atos 15:20; 15:29; 1 Ts. 4:3; Hb. 13:4; Ap. 21:8; 22:15.

Paulo escrevendo aos Romanos diz: Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos 1.23 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; Pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém! Rm. 1:20-25.

É extenso o verso que fala da condenação aos homossexuais, como Paulo diz: Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro. E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes, 1.29 cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, caluniadores, aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia. Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem. Romanos 1:25-31.

Os defensores e praticantes do homossexualismo levantam objeções contra a discussão deste texto, dizendo que ele se refere somente a heterossexuais que cometem atos homossexuais ou “abuso” da homossexualidade, e não se aplica se for um desejo “natural” por uma pessoa do mesmo sexo e feito dentro de uma relação monogâmica ou algum tipo de “casamento”. Porém, Não há sustentação para esse tipo de argumento, porque, quando examinamos o texto. Paulo não está falando sobre o que é ou se tornou um desejo “natural”. Ele está falando sobre função. Deus fez o homem e a mulher com funções distintas. E como podemos observar, de acordo com a passagem, essas funções se rebelam por meio de atos homossexuais.

Pelo texto, então, vemos que o homossexualismo é um exemplo de como Deus entrega as pessoas às consequências da sua rebelião contra Ele. Este não é o único pecado listado, mas é o mais enfatizado. Parece que o exemplo é dado porque a homossexualidade é diametralmente oposta ao claro desígnio de Deus.

Afinal, Deus nos fez à Sua imagem (Gn. 1:27), com uma constituição que se completa na união do homem com a mulher (Gn. 2:22-25). Agir em clara oposição ao plano de Deus no nível natural declara, de forma inconfundível, a realidade da rebelião. Declara ainda que o próprio plano e propósito de Deus estão errados, inadequados e são antiquados. Conforme o texto, o homossexualismo e os demais pecados relacionados são parte do julgamento imediato de Deus. O próprio pecado em si mesmo já é um julgamento. Porque segundo a bíblia todos irão se colher o que plantou.

Sem dizer que, esse ato gera a rebelião contra Deus e seus mandamentos e pata tentar escapar o apologista homossexual muda á verdade de Deus em mentira. E como resultado de tal ato o apologista homossexual ou simpatizante da causa gay tem sua mente cauterizada. Ficando a sua capacidade de raciocínio ou de ver as coisas pela perspectiva moral correta é gravemente prejudicada pelo seu pecado. Romanos. 1:28.

No entanto, para que ninguém se vanglorie em si mesmo, Paulo imediatamente prossegue, mostrando que todos estão condenados sob o pecado. De fato, quando alguém julga o pecado do outro, a si mesmo se condena. Rm. 2:1-5. A única razão pela qual Paulo pode compartilhar estas coisas de forma digna é porque ele não confia na sua própria justiça. Ele confia na justiça de Deus. Esta justiça lhe foi imputada em Cristo Jesus, pela graça de Deus. O próprio Paulo foi perdoado. A questão não era condenar os outros para justificar a si mesmo. A questão era deixar clara a existência do pecado de cada um, a fim de que a graça de Deus que o havia resgatado fosse compartilhada com os outros seres humanos carentes de libertação, assim como ele fora um dia.

A mesma ênfase e o mesmo objetivo de Paulo na carta aos Romanos devem ser compartilhados pelos cristãos atuais. Todos nós somos pecadores. Todos estamos debaixo da imensurável ira de Deus. Todos nós somos também pecador condenado por estas verdades. Pela graça de Deus, podemos ser perdoados com a condição de mudar nossa atitude com relação aos mandamentos de Deus. No entanto, mesmo debaixo dessa graça, em nós mesmos, não somos melhores do que os outros. Não temos nada do que nos vangloriar. Isso demonstra o quão maravilhosa é graça de Deus. O fato de Ele nos ter amado enquanto ainda éramos Seus inimigos, em profunda rebelião contra Ele, é quase incompreensível. Essa mesma graça que mudou, e ainda muda a nossa vida, e que nos dará a vida eterna com Deus numa existência perfeita, está disponível a todo mundo. Ninguém está excluído desta oferta, seja qual for seu sexo, raça, nacionalidade, etnia, classe ou qualquer outra classificação. Esta é graça que os cristãos devem oferecer, pois é a verdadeira graça de Deus.

Como está escrito: Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus. 1 Co. 6:9-11.

Os apologistas da causa Gay sejam eles praticantes ou não, sempre vão levantam dúvidas quanto às duas palavras gregas usadas para a atividade homossexual do texto em questão. Eles as interpretam como se referindo apenas a fraqueza moral (μαλακος) e prostituição masculina (αρσενοκοιτης). No entanto, esse tipo de tradução está em desacordo com o principal Léxico de Grego Bíblico. BDAG.
Além do mais, está em desacordo, principalmente, com a maioria dos outros dicionários padrão isso para não dizer todos.

η ουκ οιδατε οτι αδικοι βασιλειαν θεου ου κληρονομησουσιν μη πλανασθε ουτε πορνοι ουτε ειδωλολατραι ουτε μοιχοι ουτε μαλακοι ουτε αρσενοκοιται
ουτε κλεπται ουτε πλεονεκται ουτε μεθυσοι ου λοιδοροι ουχ αρπαγες βασιλειαν θεου ου κληρονομησουσιν

και ταυτα τινες ητε αλλα απελουσασθε αλλα ηγιασθητε αλλ εδικαιωθητε εν τω ονοματι του κυριου ιησου και εν τω πνευματι του θεου ημων. 1 Coríntios 6:9-11.

É inegável que 1 Co. 6:9-11 inclui várias alusões a Lv 18-20, e dos dez vícios listados em 1Co 6:9-10, somente a embriaguez não é encontrada em Levítico 18-20. Essa estrutura paralela entre os textos evidencia ainda mais que Paulo tinha Levítico 18:22 e 20:13 em mente ao cunhar arsenokoitai  a partir da LXX.
O contexto imediato de 1Co 6:9 vai do capítulo 5 ao capítulo 7 e trata da sexualidade humana. Paulo menciona um caso de incesto, e aplica a lei de Lv 18:8 e 20:11, que foi aceita como aplicável para os cristãos gentios pelo Concílio de Jerusalém (o “sexo ilícito” de At 15:20). Como vimos nos textos anteriores, as normas sexuais de Levítico 18 e 20 são essencialmente morais, e seus conceitos eram aplicáveis aos estrangeiros.
Em 1 Coríntios 6, como em Romanos 1, Paulo também usa a criação divina como padrão para a sexualidade. Ele cita Gn 2:24 (“serão os dois uma só carne”) em 1Co 6:16. Outra evidência de ele tem a criação em mente é que ele usa o casamento heterossexual como padrão para ensinar sobre vida conjugal e divórcio: “cada homem deve ter sua própria esposa, e cada mulher deve ter seu próprio marido” 1Co 7:2.
Malakoi é mencionado entre dois outros pecados sexuais: “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros [moichos], nem efeminados [malakoi], nem sodomitas [arsenokoites]” (1Co 6:9). Isso indica que malakoi também é um pecado sexual.
Isoladamente, malakoi tem significado muito amplo, e é um caso em que a literatura extrabíblica pode ajudar, já que esse é o único uso da palavra para descrever uma pessoa em um contexto sexual na Bíblia. E há ampla evidência de que malakoi era usado para efeminados em geral, e também para quem se submetia passivamente a relações homossexuais no mundo greco-romano e entre os judeus do século I.
Ao estar relacionada a arsenokoitai, a palavra malakoi recebe uma influência em seu significado, o termo arsenokoitai ajuda a definir o malakoi. É preciso considerar esses dois termos em relação um com o outro: eles se referem ao relacionamento homossexual.
O significado do termo arsenokoitai como homossexual está na origem e uso histórico do termo: Paulo criou a expressão a partir da Septuaginta - a tradução dos LXX, a Bíblia da igreja primitiva. Além disso, a construção gramatical do termo e sua fonte levítica (Lv 18:22 e 20:13) evidenciam o significado: homens que se deitam com machos. É inegável que Paulo usava a Septuaginta LXX em seus escritos, mas isso é muitas vezes esquecido no debate sobre o significado do termo arsenokoitai.
Podemos concluir afirmando que Paulo fez uma justaposição de duas palavras gregas usadas em Leviticos 18:22 (e 20:13) da Septuaginta LXX para fazer esse termo composto: arsēn + koitē. Só Paulo usa esse termo composto, antes dele ninguém usou, portanto não existe nenhum cenário histórico anterior no qual esta palavra em particular possa ser comparada.
Analisarmos os versos em questão:
“kai meta ARSENOS ou koimethese KOITEN gynaikos…” (“e não te deitarás com um macho como com uma mulher…”).
“kai hos koimethe meta ARSENOS KOITEN gynaikos…” (“e quem se deitar com um macho como com uma mulher…”).

Notamos que Paulo juntou os dois termos arsēn e koitē, formando uma palavra só. Muitas outras palavras surgiram assim, e a força das expressões sempre está em koitē, como doulokoites o que deita com escravo”, não escravo que deita com outras pessoas, e metrokoites o que deita com a mãe”, não mãe que deita com outras pessoas, e polukoites para o que deita com muitos, não muitos que deitam com outras pessoas.

Como já falamos as palavras de qualquer texto devem ser sempre analisadas com base no que a bilbia diz, ou seja com outras passagem da bíblia relacionadas com o assunto do texto em questão, sem deixar é claro de analisar o contexto. Assim sendo, dentro do contexto, essas palavras se referem a dois papéis diferentes na relação homossexual.
Portanto, sem qualquer equívoco, podemos dizer que a afirmação de Paulo é muito forte e definitiva a respeito do pecado e suas consequências, bem como sobre a única forma de ser resgatado disso. Nesse contexto, ele relembra com grande ênfase à igreja de Corinto que tais práticas não são compatíveis com o reino de Deus. Nesta parte da carta, ele está tratando de uma série de problemas éticos e comportamentais que assolavam aquela igreja. As práticas antigas estavam influenciando a nova vida daquelas pessoas de maneira totalmente errada. Aparentemente, as coisas estavam tão ruins que Paulo até os desafia, na carta seguinte, a examinarem a si mesmos para ver se realmente tinham se tornados crentes. 2 Co. 13:5.

Os pecados mencionados por Paulo, em si mesmos, não eram algo que pudesse afastar os coríntios de realmente aceitar a graça de Deus e se tornar Seus filhos. No entanto, continuar vivendo daquele modo seria uma indicação de que eles não eram verdadeiros crentes e não herdariam o reino de Deus. Veja; 1 João Essa afirmação explícita de que alguns coríntios tinham se tornado crentes sem mudar seu comportamento é muito útil para nós. Isso nos leva a pelo menos duas conclusões:

Primeiro que como outros pecados, a prática homossexual pode ser perdoada. A graça de Deus não se restringe a este ou àquele pecado. Como está escrito em Romanos 5:20-21:

Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor. ARA.

E, Segundo que uma vez livres do pecado, os cristãos devem ser os mais desejosos de compartilhar o amor de Deus com outras pessoas. Como está em 2 Coríntios 5:17-21:

Assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus. Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. ARA.

Como estamos vendo no decorrer desta analise sobre o assunto em questão, a vasta maioria dos cristãos permanecem com sua tradição bíblica de que a homossexualidade, por conta de todos os textos bíblicos apresentados, a homossexualidade deve continuar a ser vista como um pecado a ser deixado. Assim como todos os demais pecados, a homossexualidade também deve ser confessada e abandonada. Não só ela, mas todos os demais pecados para os quais um ser humano diz que nasceu inclinado para aquilo. Este é o real mandamento de Jesus para as pessoas que desejam a vida eterna, todos devem abandonar seus pecados como está escrito:

Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me; pois, quem quiser salvar a sua vida por amor de mim perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. Pois que aproveita ao homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida? ou que dará o homem em troca da sua vida?. Mateus 16:24-26

Para concluir podemos dizer que o Espírito Santo usou Paulo para revelar ao Seu povo que a homossexualidade deve ser vista como um sinal da queda da humanidade e da quebra, ou seja, da impossibilidade dessa humanidade viver os propósitos de Deus sem uma conversão e retorno a Ele.

Leia também o
O “GENE GAY Parte I

VERSOS BÍBLICOS SOBRE A HOMOSSEXUALIDADE

 “E, por essa razão, Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. De igual modo, os homens também abandonaram as relações sexuais naturais com suas mulheres e se inflamaram de desejo sensual uns pelos outros”. Deram, então, início as sucessões de atos indecentes, homens com homens, e, por isso, receberam em si mesmos o castigo que a sua perversão requereu. “Além do mais, considerando que desprezaram o conhecimento de Deus, Ele mesmo os entregou aos ardis de suas próprias mentes depravadas, que os conduz a praticar tudo o que é reprovável”. (Rom 1.26-28).

São insensatos, desleais, sem amor e respeito à família, sem qualquer misericórdia para com o próximo.  E, apesar de conhecerem a justa Lei de Deus, que declara dignos de morte todas as pessoas que praticam tais atos, não somente os continuam fazendo, mas ainda aprovam e defendem aqueles que também assim procedem. Rom 1.31-32.

Não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem os que se entregam a práticas homossexuais de qualquer espécie, nem ladrões, nem avarentos, nem viciados em álcool ou outras drogas, nem caluniadores, nem estelionatários herdarão o Reino de Deus. 1 Cor 6. 9-10.

Para os que vivem na prática de imoralidades sexuais e os homossexuais em geral, para os sequestradores, para os mentirosos e os que fazem juramentos falsos; e para todo aquele que se revolta contra a sã doutrina. 1 Tim 1.10.
Sabe, entretanto, disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens amarão a si mesmos, serão ainda mais gananciosos, arrogantes, presunçosos, blasfemos, desrespeitosos aos pais, ingratos, ímpios, sem amor, incapazes de perdoar, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem. 2 Tim 3.1-3.

Portanto, meus irmãos, sede pacientes até a vinda do Senhor. Observai como o lavrador aguarda o precioso fruto da terra, esperando com paciência, até que receba as primeiras chuvas de outono e as que encerram a primavera. Sede vós, igualmente, perseverantes. Fortalecei o vosso coração, porquanto a vinda do Senhor está próxima. Tiago 5.7-8.

No entanto, fora estão os cães, os bruxos e ocultistas, os que cometem imoralidades sexuais, os assassinos, os idólatras e todos os que amam e praticam a mentira. Apocalipse. 22.15.

Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas. 1Co 6:9. ARA.

Não trarás o salário da prostituta nem o aluguel do sodomita para a casa do Senhor teu Deus por qualquer voto, porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao Senhor teu Deus. Dt 23:18. ARA.

Não te deitarás com varão, como se fosse mulher; é abominação. Lv 18:22. ARA.

Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus os entregou à impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coração, para a degradação do seu corpo entre si. Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém. Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão Romanos 1:22-27. NVI.

Não tendes lido que, no princípio, o Criador os fez macho e fêmea e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem. Mateus 19:4-6. ARC.

Se faz necessário dizer que na verdade a homossexualidade existe há milênios e é conhecida tanto dentro da literatura judaico-cristã quanto fora. O termo deriva dos termos homo e sexus que é uma justaposição de duas palavras grega e latina, e refere-se a um ser humano, homem ou mulher, que possui afeição e atração sexual por outro ser humano do mesmo sexo. Homens e mulheres podem ser homossexuais. As mulheres normalmente são chamadas de lésbicas e os homens de sodomitas. Lésbicas, por causa de uma ilha grega chamada Lesbos, onde viveu uma poetisa, Safo, que escreveu amplamente sobre seus relacionamentos sexuais com outras mulheres. Sodomitas, por causa da prática comum na cidade de Sodoma onde homens buscavam outros homens para relações sexuais, pública ou privadamente.
O plano de Deus para os relacionamentos sexuais representa o ideal d'Ele para a Sua criação. Infelizmente, o pecado perverteu o uso natural da dádiva de Deus. O pecado da homossexualidade não só nega a Deus, mas também nega a forma como Ele nos criou: E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Genesis 1:27.
Para termina tenha sempre em mente que não cabe à sociedade estabelecer os padrões da lei de Deus. Os homossexuais acreditam que os seus desejos são normais e que têm o direito de expressá-los. Porque suas mentes estão cauterizadas pelo pecado. Assim sendo, se você conhece alguém neste pecado ore e não nada mais. Porque quem tem a mente cauterizada é cima de tudo um hipócrita. Como está escrito: Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência; 1 Timóteo 4:2

CONTINUA...

SHALOM ADONAY

José Alfinyahu, Teólogo, Parapsicólogo, Psicanalista, Professor, Th.M em bíblia e Th.D em Teologia Sistemática.

Declaração de Direitos Autorais
O conteúdo em nosso site é produzido por Instituto Bíblico Cristão, e pertence por direito ao autor, publicador e/IBC.org. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de IBC.org. e inclua essa nota.

IDEOLOGIA DO GÊNERO REFUTADA CIENTIFICAMENTE




FORMANDO CIDADÃO PARA UMA SOCIEDADE MELHOR
Com o fim de Habilitar ao Senhor um povo Entendido. Lucas 1:17.

ESTUDE TEOLOGIA 
SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA

SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA
SEJA BACHAREL EM TEOLOGIA



DOAÇÃO VIA INTERNET
Caso queira fazer doação de qualquer valor para nos ajudar, via internet, utilizando cartões de crédito, débito o boleto bancário, clique no botão de “doação” abaixo. Utilizamos os serviços do PagSeguro Uol. É rápido e seguro.

AO DOAR GANHE UM BRINDE

         OBRIGADO por Ajudar nosso TRABALHO Social. SUA DOAÇÃO ajudará MUITAS PESSOAS SEREM Alcançadas e SOCORRIDAS. Ao DOAR qualquer valor VOCÊ GANHA TOTALMENTE GRÁTIS à ENCICLOPÉDIA DE BÍBLIA, TEOLOGIA E FILOSOFIA: 
6 VOLUMES de Russell Norman Champlin. Em mídia digital
Que enviaremos para seu E-mail assim que com firmamos sua doação.


PARTICIPE e GANHE!

PARA CONTRIBUIR COM QUALQUER VALOR CLIQUE EM DOAR 
AQUI EM BAIXO





OBRIGADO PELA SUA DOAÇÃO. 

 QUE O ETERNO TE ABENÇOE.

 SHALOM ADONAY